Cidades
Publicada em 16/07/2015 - 18h08min

Stefany Leandro

CELULAR NA RUA, A FALTA DE ATENÇÃO GERA VÁRIOS RISCOS

CELULAR NA RUA, A FALTA DE ATENÇÃO GERA VÁRIOS RISCOS - Cada vez mais as pessoas utilizam o celular nas ruas (e também na direção de veículos), como se estivessem andando dentro de suas casas, onde os riscos são mínimos. E o telefone celular, diferentemente do início do seu lançamento, hoje é utilizado para fazer ligações, mandar mensagens de texto, ou via whatsapp, instagran, facebook, twitter, entre outras redes sociais existentes. GARANTIR BOAS FOTOS PRA CAPA MUITA GENTE também utiliza o celular para ouvir música - com fones de ouvido - o que também é um risco, pois mal ouve os ruídos da via onde está. Existe um caso, ocorrido nos EUA, em que uma moça ouvi música e não percebeu a chegada de um trem, e mesmo avisada por outras pessoas, com o fone no ouvido, não ouviu os alertas.  NO METRÔ E TRENS é comum o pessoal subir e descer escadas rolantes, andar pelas plataformas, grudado no celular, sem se importar com o que ocorre no seu entorno. RISCOS - Enquanto se distrai com o celular (digitando, etc), pode sofrer algum acidente, ser alvo de bandidos, entre outros riscos. Se estiver com fone de ouvido - e alguém tentar avisar - o sujeito não vai nem ouvir o alerta. NA DIREÇÃO - Se falar ao celular - ou teclar - andando nas ruas é um perigo, risco maior é fazer isso enquanto dirige. E tem muita gente que faz isso. Podemos ouvir um especialista para explicar os riscos, fazer uma comparação de que, disperso no equipamento, e a determinada velocidade, quantos metros são percorridos com o veículo sem que o motorista tenha consciência disso. ABAIXO, links interessantes que podem dar mais ideias ao repórter.  http://www.jornalopcao.com.br/posts/reportagens/os-perigos-do-celular http://www.jornalipanema.com.br/noticias/comportamento/51030-especialistas-alertam-para-o-perigo-do-uso-excessivo-de-celulares

Checar as redes sociais, enviar mensagens, falar ao celular enquanto caminha pelas ruas ou se está ao volante, ações simples e que já se tornaram hábito em meio a era digital. O que muita gente não sabe são os riscos a que estão expostos enquanto protagonizam esse tipo de situação.
O especialista em segurança pública e privada, Jorge Lordello, alerta que as distrações causadas pelo uso dos aparelhos eletrônicos representam uma ameaça para a segurança das pessoas. Isso porque além de despertar o interesse de criminosos para que cometam assaltos, também elevam os riscos de acidentes. “Se a pessoa está caminhando olhando para o celular ela acaba não percebendo o que acontece a sua volta, podendo ser atropelada ou se machucar em algum buraco na calçada, por exemplo. Além disso, entendemos que o objeto de maior desejo dos criminosos é o celular, por ter um valor e ser fácil de ser revendido. Pra se ter ideia, a cada 18 horas um celular é roubado em São Paulo”, destaca.
Segundo Lordello, ao contrário do que muitos pensam, o uso do fone de ouvido não diminui estes riscos. “ Não é aconselhável andar pelas ruas utilizando os fones de ouvido. Primeiro, porque se você está usando o fone é sinal de que possui algum aparelho eletrônico e isso também irá chamar a atenção de quem deseja praticar um roubo. Segundo porque o ouvido é um equipamento importante para a segurança. Quando a pessoa está ouvido com os fones no ouvido ela perde a percepção, não conseguirá identificar alguém que está caminhando atrás dela, ou um veículo que se aproxima”, comenta.
Para o especialista, a melhor forma de prevenir esses incidências é ter cautela. “Muita gente está dependente do celular. Mas não é recomendado usá-lo nas ruas, não mantê-los a vista, seja na mão ou no bolso da calça, por exemplo. O ideal é que, se por acaso, precisar atender uma ligação ou enviar uma mensagem, procurar um local seguro, como um estabelecimento comercial, por exemplo”, orienta.
Usar telefone celular ao dirigir , além de por em risco a segurança do condutor e de terceiros, é infração considerada média pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), com multa prevista de R$ 85,13 e perda de quatro pontos na carteira. Entre janeiro e junho deste ano 2.831 multas foram aplicadas em Mogi das Cruzes, o que equivale a uma média de 472 autuações ao mês. Os dados são da Secretaria Municipal de Transportes e podem sofrer alterações uma vez que parte das penalidades registradas no mês passado ainda estão sendo contabilizadas pela pasta.
  • CELULAR
  • CELULAR
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos