Cidades
Publicada em 11/10/2017 - 23h29min

Ferraz II

Cidade gasta só parte de repasses

Foto: Divulgação

Secretário Siqueira alegou burocracia
Apesar da existência de 32.100 famílias cadastradas nos quatro Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) até junho deste ano, a Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos conseguiu gastar apenas R$ 136 mil de repasse federal de um total de quase R$ 1 milhão "carimbado" e R$ 35.130,00, do governo estadual, de um montante de R$ 657 mil. Os números foram divulgados em audiência pública para avaliar o balanço das atividades no primeiro semestre pela Secretaria de Promoção e Desenvolvimento Social ontem, na Câmara Municipal, no centro.
O titular da secretaria, Rodrigo de Freitas Siqueira, atribui a falta de aplicação de verbas federais e estaduais, que representam mais de R$ 1,6 milhão, a problemas administrativos, ou seja, a burocracia que impera no serviço público em geral. Segundo ele, foram feitos diversos pedidos ao Departamento de Compras, porém, nenhuma solicitação acabou sendo atendida, tendo em vista não ter sido realizada licitação, conforme determina a legislação. Agora, com a recente mudança de pessoal no referido setor, o secretário espera poder gastar todo o dinheiro até o dia 31 de dezembro próximo.
Por correr contra tempo, isto é, apressar todos os trâmites de processos licitatórios, o secretário se reuniu com o prefeito, José Carlos Fernandes Chacon (PRB), o Zé Biruta, que, por sua vez, pediu total prioridade à nova equipe responsável pelo Departamento de Compras. Em contrapartida, no mesmo período, somente de dinheiro do tesouro local, a Promoção e Desenvolvimento Social investiu R$ 5,5 milhões, o que corresponde a 88%. Na contramão, os CRAS e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREA) sofrem com a falta de material de escritório e até mesmo de papel higiênico.
Do total de 32.100 famílias inscritas nos CRAS locais, 1.575 entraram no sistema somente nos primeiros seis meses de 2017. Com isso, de uma população oficial de 184.700 mil habitantes, 17,39% dos moradores dependem de apoio financeiro da municipalidade.
Na área de proteção básica, foram efetuados no período 14.619 atendimentos. No Cadastro Único são 14.704 inscritos e recebendo o programa Bolsa Família 7.195.
Na cidade, o Sistema Único de Assistência Social (SUAS) oferece mais projetos sociais, entre eles, o Renda Mínima, o Ação Jovem e outros.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos