Editorial
Publicada em 07/10/2017 - 21h06min

Silêncio dos inocentes

Quando a gente pensa que a barbárie e a violência nos deram alguns dias de sossego, vem a realidade do mundo e nos mostra que as coisas não são bem assim. No interior de Minas Gerais, na cidade Janaúba, de aproximadamente 80 mil habitantes, o vigia de uma creche ateou fogo no estabelecimento. A ação causada pelo homem, que trabalhava há nove anos no local, deixou nove pessoas mortas, sete crianças, uma professora e o próprio agressor.
O caso não só chamou atenção do Brasil, mas também tomou as páginas dos principais jornais do planeta, que destacaram a ação do funcionário. Isso sem levar em conta as demais pessoas que foram atingidas pelo fogo, algumas seguem em estado grave.
Essa tragédia em Janaúba ocorreu menos de uma semana após um atirador em Las Vegas, no Estados Unidos, abrir fogo contra diversas pessoas que assistiam a um show na cidade. Os tiros mataram mais de 50 pessoas, enquanto aproximadamente outras 500 ficaram feridas. Ou seja, são dois casos onde tudo poderia caminhar como mais um dia normal, mas não foi isso que ocorreu.
Além da semelhança de ter um agente causador desse estrago, outro ponto pode unir a tragédia em Minas com a de Las Vegas: o comportamento dos agressores antes dos crimes e, depois, cometendo suicídio.
Em ambos os casos as polícias locais irão verificar se os agressores possuíam histórico de depressão. A premeditação dos crimes, como o estoque de armas que o atirador americano havia deixado no hotel, e no caso do vigia brasileiro, a quantidade de materiais inflamáveis guardados dentro de casa, não deixam dúvidas de que algo de errado estava prestes a acontecer.
É claro que tudo isso vai ser levantado pelas autoridades. Ainda não há como informar que ambos possuíam algum problema relacionado à depressão, no entanto o fato de tirar a própria vida reforça essa suspeita. Fica claro, pelo menos até esse ponto, que às vezes é difícil distinguir uma pessoa com depressão. Observar os sinais de comportamento podem ajudar a resolver essa condição e evitar tragédias, como as que ocorreram essa semana.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos