Artigos
Publicada em 06/12/2017 - 22h12min

Cedric Darwin

A vez dos bancos

Inflação abaixo da meta e taxa de juros mais baixa da história, agora é a vez dos bancos brasileiros contribuírem para a retomada do crescimento econômico. Com taxas de juros astronômicas, bancos e financeiras enriqueceram e atravessaram a crise sempre com lucros exorbitantes, na casa dos bilhões. Enquanto milhares de pequenas e médias empresas desapareceram, fechando vagas de emprego formais em todo o país, os bancos e financeiras não sofreram nenhum abalo.
Se toda atividade produtiva vai mal e os bancos e financeiras vão bem, é preciso mudar as regras do jogo. Ninguém é ingênuo a ponto de acreditar que políticos mudem as regras em desfavor de quem os financia. Mas é preciso buscar o necessário equilíbrio e, principalmente, fomentar a atividade econômica com estímulos ao crédito, não apenas para o consumo, mas para a produção, para o capital de giro e a antecipação de recebíveis.
Todos sabem que o crédito bancário ou financeiro estrangula a atividade produtiva, quando não a quebra. Quem já tomou empréstimo bancário, de financeira ou factoring sabe do aperto que passou ou do fim que decretou à sua própria atividade. Se é certo que as empresas brasileiras são incipientes em gestão financeira, não é preciso ser nenhum economista para ver que o sistema financeiro não atende a nenhum anseio social. Não fomenta o desenvolvimento, não empresta no volume desejado e, principalmente cobra juros extorsivos.
Ao tomador de crédito só resta não tomar o crédito, o que acanha a economia. Não é para isso que precisamos de bancos. Temos que estimular a entrada de novos jogadores no sistema financeiro. Fintechs, bancos virtuais e, as cooperativas de crédito são o grande diferencial para os consumidores. Com taxas menores, linhas de crédito mais acessíveis e menos custo em suas operações, são opções de crédito acessível, especialmente as cooperativas, que hoje são as que mais se assemelham ao sistema bancário tradicional, mas sem cobrar juros extorsivos como faz o sistema bancário tradicional.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos