Artigos
Publicada em 18/12/2017 - 21h26min

Afonso Pola

Um balanço

O ano está acabando. É hora de avaliarmos como o Brasil se comportou durante 2017. Começamos e terminamos com uma série de incertezas, assim como já havia ocorrido em 2016. As crises (política, econômica e institucional) ganharam profundidade assustadora. O desemprego atingiu índices alarmantes. Os sucessivos envolvimentos de ministros e do próprio presidente em denúncias de corrupção, em paralelo ao avanço de ações para inibição da Operação Lava Jato, ganharam espaço permanente na mídia, comprometendo a credibilidade das instituições que sustentam nossa democracia.
Considerando as últimas pesquisas, temos um governo desprestigiado com elevadíssimos índices de reprovação e que atua junto a um Congresso também desprovido de credibilidade, impondo reformas a toque de caixa.
A reforma trabalhista já exibe resultados preocupantes. A Universidade Estácio de Sá demitiu de uma só vez 1,2 mil professores sem nenhuma justificativa. Especula-se que a instituição queira contratar professores via "contrato intermitente", ganhando apenas as horas trabalhadas. É importante ressaltar que o valor pago além das horas-aulas dadas é uma forma de remunerar o trabalho em função da preparação das aulas e correções de trabalhos e provas. É bem provável que outras instituições de ensino busquem o mesmo caminho, o que indica maior precarização do trabalho docente e redução da qualidade de ensino.
Tal reforma deve, além de precarizar e reduzir a média salarial em algumas profissões, estimular a pejotização. Esses dois fenômenos devem impactar negativamente a receita da Previdência, outra reforma que o governo e parte do Congresso querem enfiar goela abaixo dos brasileiros. No início de 2017 eu dizia que o ano 2016 não havia terminado. Infelizmente eu estava certo. Receio que iniciaremos 2018 como se ainda estivéssemos em 2017.
Em 2018 nós temos Copa do Mundo e eleições, e normalmente, o tempo passa arrastado e sem muita novidade no cenário econômico. Espero errar dessa vez.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos