Editorial
Publicada em 11/12/2017 - 21h53min

Fatalidade

Um destino que não se pode evitar é uma perfeita definição de fatalidade. Será que esta é melhor palavra para definir a morte de uma criança em decorrência da falta de manutenção em um brinquedo instalado em um local público, como ocorreu na última sexta-feira em Poá? Pelo menos foi esta a palavra escolhida pela administração do prefeito Gian Lopes (PR) para falar sobre a morte de Letícia Rayanny Marcelino, de 9 anos, depois que um pedaço de madeira de um balanço caiu sobre ela, no Centro Integrado Esportivo Antonio Sanches, no Jardim Romero.
A reportagem do Dat de hoje revela que a situação precária que vitimou Letícia não é algo isolado, infelizmente. A Prefeitura vai ter trabalho na vistoria que começou a ser feita em caráter de "urgência" pela Secretaria de Segurança Urbana, utilizando profissionais do setor de Defesa Civil. Equipes geralmente acionadas em casos emergenciais, situações extremas como deslizamentos e enchentes, o que só reforça a gravidade da situação.
E tudo fica ainda mais preocupante quando a determinação, de acordo com a Prefeitura, é a "adoção de providências necessárias para manutenção, reparos e consertos ou mesmo interdição (parcial ou total)". Ou seja, já se prevê que há outros locais de lazer pertencentes à administração municipal que possam oferecer riscos para a população, de onde conclui-se que não é realizada uma manutenção adequada dos mesmos.
Prevenir é sempre a melhor política. A manutenção tardia certamente evitará que outras crianças tenham o destino de Letícia, mas nem de longe soluciona o problema. É preciso regularidade, atenção ao lazer, à população que muitas vezes tem apenas a praça como opção para levar os filhos.
Não podemos esquecer que já se trata de uma cidade que vem descuidando de suas crianças, o que ficou evidente com o fechamento da Pediatria no Hospital Municipal Guido Guida. Os problemas que ocorrerão com as mudanças no Imposto Sobre Serviços (ISS) não pode ser o único discurso da Prefeitura, é preciso otimizar os recursos e conseguir dar o mínimo para a população, como saúde, segurança e lazer.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos