Editorial
Publicada em 27/12/2017 - 21h06min

Incentivo

Todos nós precisamos de incentivo. Uma pessoa que faz algo sem incentivo, está desmotivada. Isso ocorre independentemente do setor em que se trabalha ou da tarefa que esteja realizando. Em uma empresa, um funcionário desmotivado atrapalha e pode contagiar os demais, e assim, o clima de desarmonia toma conta e toda máquina é prejudicada. Ou seja, sem incentivo não há motivação, sem motivação há desarmonia, que traz a falta de produtividade.
Muitos confundem o incentivo com bônus salarial - ação que, obviamente, nenhum beneficiado criticaria. Mas, o incentivo é mais do que isso: é o reconhecimento pelo destaque de uma determinada tarefa realizada pelo colaborador.
Neste momento de tanta instabilidade nas indústrias, no comércio e demais setores do mercado, as empresas estão passando por grandes dificuldades e retenção de custos, mas mesmo assim, não podem deixar de valorizar, na medida do possível, o bom funcionário.
Passamos por um momento onde a maioria das campanhias estão retendo os gastos, ao mesmo passo que o funcionário, por mais insatisfeito que possa estar, não abre mão de seu salário e de seu cargo, já que sabe que as oportunidades da porta para fora não estão fáceis - principalmente em locais como a região do Alto Tietê, onde muitos segmentos são restritos e a falta de oportunidade pode ser grande. Assim, temos o quadro de um funcionário desmotivado.
O certo é que a situação está complicada para o trabalhador brasileiro em qualquer canto do país e, em meio a esse turbilhão e à porta de mais um ano que chegará cheio de incertezas, temos os preparativos para as eleições presidenciais de 2018. Michel Temer (PMDB) deixará a cadeira mais importante do Brasil nas mãos de nomes que até agora não inspiram confiança: um deles é Jair Bolsonaro que, sem muito marketing e sem partido, vem recebendo aceitação cada vez maior. Seja lá quem venha a assumir, terá muito trabalho pela frente, incluindo a tarefa de melhorar a economia e oferecer mais opções a empreendedores e trabalhadores. Há alguém preparado para encarar tal desafio?
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos