Polícia
Publicada em 20/12/2017 - 20h33min

Claudia Irente
Adulteração

PM estoura central clandestina em Poá

Grupo utilizava galpão equipado com tonéis de armazenamento, bombas de combustível e caminhões-tanque para fazer o transporte dos materiais

Foto: Hélio Torchi/Cedidas

Mais de 20 pessoas foram detidas durante a ação
Policiais militares do 35º Batalhão de Itaquaquecetuba descobriram, na noite de anteontem, uma espécie de "central" de adulteração e distribuição de combustível na rua Guarapari, na Vila Varela, em Poá. Pelo menos 24 pessoas foram detidas em um galpão, onde foram encontrados também caminhões que armazenavam o produto.
Segundo a PM, a quadrilha atuava em um espaço de cinco mil metros quadrados, onde havia vários caminhões-tanque, bombas de combustível e tonéis de armazenamento, além de produtos químicos que seriam utilizados no processo de falsificação. Entre as mais de 20 pessoas presas havia prestadores de serviços, funcionários e um homem que seria o gerente da fábrica clandestina.
Foi uma denúncia anônima que levou os policiais até o local e, após a constatação do fato, todo o material encontrado foi encaminhado para a perícia.
Agora a investigação segue apurando a origem da matéria-prima, bem como o destino do combustível. Há suspeitas de que o material produzido seria revendido para postos de gasolina das cidades de Mogi das Cruzes, Suzano, Poá e zona leste de São Paulo, depois de serem adulterados, assim que os caminhões retornavam das refinarias. No local, pelo menos 12 caminhões de transporte de carga perigosa foram encontrados e apreendidos. Alguns tinham capacidade para comportar cinco mil litros de gasolina.
A tenente Vivian esteve no local e verificou, junto a vários policiais, que funcionários misturavam uma substância chamada nafta, um derivado do petróleo, ao etanol, configurando a adulteração.
Recentemente, uma ação da Polícia Militar de Itaquá conseguiu desmontar uma quadrilha que praticava furto de combustível no bairro Jardim Cristiane, em uma chácara. No local, havia uma ligação com um duto da Petrobras e também foram localizados em um caminhão 15 mil litros de nafta.
Já em Poá, técnicos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e da Transpetro também estiveram no galpão, onde não localizaram nenhum vazamento de combustível ou dano ambiental. As investigações sobre o caso prosseguem.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos