Cidades
Publicada em 26/01/2018 - 21h48min

Rinaldo Junior *
poá

Servidores fazem mais um protesto contra exonerações

Funcionalismo público cobra diálogo com prefeito Gian Lopes; médicos também realizaram paralisação ontem

Foto: Vitoria Mikaelli

Há uma semana, cerca de 100 trabalhadores também fizeram manifesto nas ruas
Mais uma manifestação ocorreu, na manhã de ontem, em Poá, feita pelos servidores públicos que são contra a lei nº 001/2018.
Cerca de 300 trabalhadores serão exonerados com a medida, que foi sancionada há duas semanas pelo Executivo. O funcionalismo público cobra diálogo com o prefeito Gian Lopes (PR) e, caso não haja um acordo, não está descartada a greve entre os servidores. 
Uma reunião foi agendada há uma semana, para as 10 horas de ontem, entre os servidores e o prefeito, no órgão municipal. Porém, os trabalhadores não foram recebidos pelo chefe do Executivo e sim pelo secretário municipal de Governo, Augusto de Jesus.
Agora, uma nova reunião está para ser agendada. Assim explicou o presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo, Eder Gatti, "Estamos agendando uma próxima assembleia com o prefeito. A data será definida na próxima segunda-feira e, se caso não conseguirmos diálogo, há sim uma possibilidade de greve geral entre nós da área da Saúde e o pessoal da Educação", informou.
Para a reunião de ontem, houve uma paralisação dos trabalhadores da área da Saúde de Poá. Os hospitais atenderam apenas os casos de emergência e urgência na cidade. "Não queremos atrapalhar a população. Por isso, plantonistas ficaram nos locais. A nossa cidade já vem sofrendo muito com a administração, principalmente na área da Saúde", ressaltou.
O setor sofreu várias alterações como a redução salarial dos médicos, o fechamento do Pronto-Socorro infantil e o fechamento temporário das unidades de Estratégia Saúde da Família (USFs).
De acordo com Gatti, com a nova lei, cerca de 20% dos médicos poderão ser demitidos. Gatti acrescenta: "O prefeito está se escondendo da gente. Será que ele não percebe que estamos com sérios problemas na administração da cidade?", concluiu.
Os servidores públicos da área da Educação também realizaram, na última terça-feira, uma assembleia para discutir a possibilidade de greve.
O encontro contou com a presença de trabalhadores da área e servidores aposentados. Agora uma nova assembleia foi marcada para o dia 6 de fevereiro, às 18 horas, na Câmara de Poá.
* Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos