Cidades
Publicada em 08/02/2018 - 22h42min

Rinaldo Junior *
Levantamento

MRS registra cinco acidentes ferroviários na região em 2017

Em Suzano, foram registrados quatro acidentes, tornando o município a 7ª cidade com mais ocorrências do tipo

Foto: Mogi News

Durante o período do Carnaval, a companhia informou que irá desenvolver mais atividades de segurança
A MRS, empresa responsável pelo transporte de cargas em vários estados brasileiros, divulgou nesta semana o número de atropelamentos e abalroamentos (colisões) na ferrovia em 2017.
A malha MRS passa pelas cidades de Suzano e Itaquaquecetuba, onde foram registrados cinco acidentes.
O balanço ainda informa que houve o total de 103 acidentes nas 105 cidades em que a empresa está presente. 
A pesquisa apontou que, durante o ano passado, houve um crescimento de 10% nos acidentes registrados.
Em 2016, houve 93 atropelamentos ou abalroamentos. A empresa ressaltou que "o índice poderia chegar a zero, através da adoção de uma cultura de segurança perante à ferrovia", disse.
Na cidade de Suzano, a MRS registou quatro acidentes na ferrovia. O que fez o município se tornar a sétima cidade com o número maior de acidentes.
Já em 2016 houve dois acidentes, entre atropelamentos e abalroamentos. 
Em Itaquaquecetuba, o gráfico elege a cidade como um município com número estável de acidentes.
Durante 2017, Itaquá registrou apenas um acidente e, em 2016, um acidente também.
De acordo com a MRS, 100% dos atropelamentos e abalroamentos registrados em 2017 foram causados por um componente de "má avaliação de riscos" por parte dos envolvidos. "Entre as principais causas estão a desatenção, a pressa, o uso de dispositivos móveis ao atravessar a ferrovia, ou seja, a imprudência, de forma geral, além do efeito do álcool e das drogas nos envolvidos", informou.
Para evitar mais acidentes na ferrovia, a MRS realiza várias atividades, como contou o gerente geral de Faixa de Domínio e Interferências, Uascar Carvalho. "Uma das nossas linhas de atuação está diretamente ligada ao trabalho de conscientização junto às comunidades vizinhas à ferrovia. O trem tem prioridade nas passagens em nível porque é muito pesado e não freia como um automóvel. Pode até parecer uma realidade distante, mas atitudes muito simples poderiam garantir o índice zero de acidentes na ferrovia, como: atravessar a linha férrea apenas em locais permitidos, não tentar passar na frente do trem quando a composição estiver se aproximando, enfim, a adoção do comportamento seguro", recomendou. 
Alerta 
Durante o período carnavalesco, a MRS desenvolverá atividades de segurança, com foco nos foliões que passam nas proximidades da ferrovia. É durante o Carnaval que há o maior fluxo de pessoas atravessando nas passagens de nível.
As ações serão feitas para a segurança da população, como destacou a gerente de Segurança Patrimonial, Karla Roberta. "Durante o Carnaval, por conta da maior movimentação nas ruas e do aumento da ingestão de álcool, sempre intensificamos as operações de segurança, promovendo blitze e campanhas de conscientização com panfletagem de material educativo sobre segurança ferroviária" finalizou.
* Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos