Artigos
Publicada em 05/02/2018 - 23h01min

Arthur Del Guércio Neto

Casar ou juntar?

As famílias têm a sua constituição e proteção estritamente ligadas aos cartórios, as quais garantem tranquilidade à sociedade. Hoje, basicamente, há duas principais formas de família no Brasil: casamento e união estável. Muitas pessoas inclusive indagam se é melhor casar ou simplesmente "juntar os trapos".
O casamento é mais formal, há uma solenidade, e após a sua conclusão, o estado civil da pessoa é alterado, passando a ser casada. Sua realização ocorre no Registro Civil das Pessoas Naturais. Já a união estável não depende de nenhuma formalidade para ser constituída. Caso sejam cumpridos os seus pressupostos legais de existência, tais como convivência contínua, duradoura, no intuito de construir família, os conviventes já ganham o amparo legal. Não há mudança de estado civil. 
Uma cautela importante para os conviventes, visando a proteção mútua, é formalizar a união estável por meio de uma escritura pública, junto ao Tabelião de Notas.
No ano de 2017, o Supremo Tribunal Federal praticamente nivelou as duas formas de constituição de família, as quais geram efeitos semelhantes aos casais. Logo, optar por casamento ou união estável, mais do que nunca, passou a ser uma particularidade dos envolvidos na relação, que podem sonhar com o tradicional casamento, ou escolher a despojada união estável.
Importante ressaltar que os casais podem ser compostos por pessoas de sexos distintos ou do mesmo sexo. Além disso, em tempos modernos, há os defensores da proteção das relações poliafetivas, as quais envolvem três ou mais pessoas. Não esqueçamos ainda do contrato de namoro, documento que tem como objetivo deixar esclarecido que certas pessoas não querem nada além de um contato mais casual, sem a intenção de constituir família, sendo a forma pública a mais recomendável para sua elaboração. Note-se que os cartórios estão presentes em todas as formas e maneiras de constituição/proteção de família, o que nos alegra, afinal, já dizia Lulu Santos que "consideramos justa toda forma de amor"!
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos