POP TV
Publicada em 10/02/2018 - 20h35min

Estadão conteúdo
Inspiração

Uma trajetória de vida iluminada

Prestes a completar 90 anos, Fernanda Montenegro fala de novela, assédio e mudanças

Foto: Fotos: Divulgação

Atriz terá a sua história de vida registrada em textos, fotos e documentos em dois livros a serem lançados em 2019, quando completará 90 anos
Quando a reportagem chega ao apartamento de Fernanda Montenegro, no Rio de Janeiro, a atriz está no 2º andar. E aparece, radiante, no alto da escada. A camisa vermelha contrasta com os cabelos brancos, marca de sua personagem na novela "O Outro Lado do Paraíso", da Globo: a mística Mercedes, que mantém conexão com a espiritualidade. Com a bela vista da Lagoa ao fundo, Fernanda comenta que passa ali, no escritório, a maior parte do tempo quando está em casa - ela grava, em média, de duas a três vezes por semana no Projac. Sobre a escrivaninha, mostra esboços de seu livro de memórias, com entrevistas que está dando à jornalista Marta Góes, a ser lançado este ano, pela Companhia das Letras. Aponta também para uma pilha de imagens que está selecionando para outro livro, de fotos e documentos de sua trajetória, projeto para o Sesc que deve sair este ano também. Por coincidência, os dois serão publicados às vésperas de seus 90 anos, que ela completa em 2019.
POP/TV: Em "O Outro Lado do Paraíso", Mercedes parece ser a única personagem bondosa...
Fernanda Montenegro: Ela é uma personagem de folhetim. Acho que tanto o Josafá (Lima Duarte) quanto a Mercedes são dois personagens que só podem existir desse jeito dentro de um folhetinão. E um dos grandes acordos que tenho com a história é justamente aceitar o absurdo do melodrama. E acho também que, como estamos vivendo uma época difícil, todos nós gostaríamos, sim, de um dia sair de dentro de um caixão que está no fundo do oceano. Essa viagem na fantasia da sobrevivência é forte na novela.
POP/TV: Acha que andamos para frente em algumas questões?
F.M. - As coisas caminharam. Geralmente, nas novelas passadas, quando tinha um amor que não fosse hétero, sempre ia devagar, mas, até chegar, é no final da novela. Mesmo a trama do Walcyr (Carrasco, 'Amor à Vida'), o (Mateus) Solano só beijou no último capítulo. Mas eram namoros que começavam dentro da novela. .
POP/TV: No ano passado, a classe artística se manifestou contra a censura na arte. Por causa de uma postagem, você recebeu ameaças na internet.
F. M. - É... Quando acontece a primeira vez, você pensa: onde estamos? Isso é uma visão nova de um organismo social. Publicamente diz que vai te esbofetear, te matar, vai fazer, vai acontecer.
POP/TV: Tem esperança de mudanças no País?
F.M. - Todos os presidentes que vieram depois dos militares chegaram ao poder com seus partidos ligados ao PMDB. Isso vai mudar? Não. Não vejo mudança.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos