Cidades
Publicada em 08/03/2018 - 23h06min

Câmara

Vereador critica locação de imóveis em Ferraz

Foto: Divulgação

Vereador cobrou a Prefeitura e da EDP
Em Ferraz de Vasconcelos, a questão de imóveis alugados pela municipalidade para abrigar secretarias municipais ou departamentos além do preocupada outro vereador, além de Claudio Roberto Squizato (PSB). Na última segunda-feira, o petista José Aparecido Nascimento, o Aparecido Marabraz, também questionou a Prefeitura sobre o número de casas locadas, o preço de cada aluguel, a modalidade de contrato, a sua duração e as despesas mensais com a manutenção, água, energia elétrica, entre outros, itens de consumo.
Para Aparecido Marabraz, essas informações a serem encaminhadas pela administração municipal são importantes para saber até que ponto o dinheiro público pode estar sendo gasto com locações dispensáveis e economizar recursos financeiros. Assim como Squizato, o petista critica, por exemplo, o aluguel da atual sede da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Fundo Social de Solidariedade (FSS), próxima ao Palácio da Uva Itália.
Segundo ele, o contrato firmado pela gestão anterior poderia ser revisto ou ainda o uso adequado do espaço. Além disso, Aparecido Marabraz disse que a Prefeitura deveria estudar a possibilidade de aproveitar melhor o prédio onde funciona a Guarda Civil Municipal (GCM), na rua Japão, ao lado da Paróquia Nossa Senhora da Paz, na região central. 
Aproveitando o momento da discussão do requerimento, o vereador Agílio Nicolas Ribeiro David (PSB) apresentou um adendo ao documento. Nele, indaga quando será ocupado o prédio recém-adquirido pelo Executivo na rua D. João VI, na Vila Corrêa. Na avaliação de Ribeiro, o espaço poderá receber todos os órgãos locais que ainda estão instalados em imóveis alugados. 
Iluminação
Aparecido Marabraz requereu também os valores pagos todos os meses com a iluminação de prédios locais à empresa EDP Bandeirante. Em novembro do ano passado, o petista pediu dados de gastos da administração municipal com a iluminação pública e valor arrecadado nos últimos três meses do ano passado com a Contribuição de Iluminação Pública (CIP).
Em resposta ao questionamento do vereador, a Prefeitura de Ferraz informou que entre os meses de setembro enovembro de 2017 a receita foi R$1,1 milhão, porém, o governo tem em caixa R$1,7 milhão. Em 2018, a estimativa é de obter mais de R$ 6 milhões por ano com a taxa.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos