Cidades
Publicada em 19/05/2018 - 22h01min

Rinaldo Junior
tradição

Entrada dos Palmitos reúne devotos pelas ruas de Mogi

Cerca de 50 mil pessoas acompanharam o cortejo, um dos destaques da festa que representa a cultura da cidade

Foto: Vitoria Mikaelli

Cortejo celebra a chegada dos moradores da zona rural para agradecer a colheita
As ruas da região central de Mogi das Cruzes receberam na manhã de ontem a tradicional Entrada dos Palmitos, que integra a programação da Festa do Divino Espírito Santo. Um dos pontos principais da festividade, o cortejo celebra a chegada dos moradores da zona rural para participar das comemorações em homenagem ao Divino e, assim, agradecer pela colheita e a fartura. Às 8h30, os fiéis, vindos de diversas partes do Alto Tietê, se concentraram em frente à Capela Santa Cruz para dar início ao desfile que seguiu até a Catedral de Santana.
Ao todo, 50 profissionais, entre agentes de trânsito, guardas municipais e policiais militares, participaram da procissão. Eles atuaram na organização do trajeto, e, em especial, no controle do trânsito. Com relação ao público, aproximadamente, 50 mil devotos marcaram presença. Diversas crianças, jovens, adultos e idosos acompanharam o cortejo, alguns prestigiando a celebração, e outros desfilando com os seus grupos. A alegria no semblante de cada um era nítida, assim como a emoção por fazer parte de um momento único de uma festividade tão aguardada pelos devotos. Os moradores das residências localizadas nas vias pelas quais houve o desfile não exitaram em se  apoiar sob suas janelas e acompanhar, com uma vista privilegiada, a grandiosidade da Entrada dos Palmitos. 
A aposentada e moradora do bairro Mogilar, Pedrina Guimarães, de 68 anos, esteve presente e ressaltou a importância do desfile. "Eu já participei de outros cortejos e cada desfile é uma sensação diferente. Estes dez dias de festa movimentaram Mogi, todos estão alegres. Independentemente do que cada um deve estar passando em suas vidas, o que se vê neste momento é que as pessoas estão felizes por acompanhar essa celebração", disse.
Já o aposentado Vanderlei Constante, 67, relembrou a história do cortejo e da sua participação. "Mogi segue esta tradição há quase quatro séculos, que veio dos portugueses, com a colonização dos jesuítas, que também contribuíram com a colonização do Brasil, inclusive da nossa região. Mogi abraçou essa festividade, e ela faz parte da nossa história e da nossa cultura. Portanto, o mogiano tem que se envaidecer. O Divino Espírito Santo é que nos conduz", destacou.
Muitos jovens acompanharam a Entrada dos Palmitos, dentre eles a estudante Isabela Macedo Pazini, 21, que aponta o aspecto religioso da iniciativa. "O desfile é pura cultura e  ótimo para a juventude. No entanto, mais que isso, ele ajuda a firmar a nossa fé, esse é o primeiro desfile que eu participo", relatou.
Apesar de ser uma festa tradicionalmente católica, o evento reúne pessoas de diversas religiões, e muitos participam devido à sua tradição e representatividade no município. Este é o caso da dona de casa Monique Armond, 32, que, anualmente, prestigia a celebração. "Eu não sou católica, mas participo do cortejo há 12 anos. Trouxe os meus filhos para ver, é muito lindo e importante para Mogi", comentou.
Autoridades
O desfile contou com a presença do prefeito de Mogi, Marcus Melo (PSD), e da primeira-dama Karin Melo; do vice-prefeito
Juliano Abe (MDB).Também estiveram presentes o secretário da Cultura do Estado, Romildo Campello, o deputado federal Junji Abe (MDB-SP) e o cônsul geral da África do Sul, Malose William Mogale.

Procissão encerra hoje a festividade

Após 11 dias de celebração, a Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes encerra hoje com a Procissão de Pentecostes

Após 11 dias de celebração, a Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes encerra hoje com a Procissão de Pentecostes. O cortejo sairá às 16 horas da Catedral de Santana e percorrerá as ruas José Bonifácio, Doutor Corrêa, Ricardo Vilela, Doutor Deodato Wertheimer e Doutor Paulo Frontin, e voltará à Igreja Matriz. Em seguida, às 19h30, será realizada a Santa Missa.
Ao término da celebração, serão incinerados os pedidos dos devotos que foram entregues nas caixas das rezadeiras, e, logo após, haverá o fechamento do Império. O ato ocorrerá na Praça Coronel Benedito Almeida.
Para a procissão, as vias serão interditadas, formando um quadrilátero, e o bloqueio começará a partir das 15 horas. A Secretaria Municipal de Transportes orienta os motoristas a evitar a região central e utilizar a via Perimetral como alternativa, caso seja necessário cruzar a cidade, conforme solicitado durante a Entrada dos Palmitos. Ao todo, 39 profissionais atuarão no controle do trânsito. (R.J.)
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos