Polícia
Publicada em 15/05/2018 - 22h57min

Claudia Irente
tentativa de assalto em Suzano

Suspeito pode estar envolvido em crime

Após análise de imagens de câmeras de vídeo na região da escola, um veículo Fiesta chamou a atenção dos policiais; casal foi identificado

Foto: Divulgação/Polícia Militar

Fiesta prata passou pela rua momentos antes de dois assaltos; homem afirmou que deu "carona" ao suspeito
Policiais militares dos 32º e 35º Batalhões, de Suzano e Itaquaquecetuba, identificaram anteontem um casal que conhecia o homem que tentou assaltar, no último sábado, mães na porta de uma escola particular no Jardim dos Ipês, em Suzano. O caso resultou na morte do criminoso, atingido a tiros por uma policial militar, que aguardava com outras mulheres e crianças, bem como com a própria filha, a abertura da unidade para a festa do Dia das Mães.
A policial militar estava de folga e em trajes civis, quando o bandido apontou a arma para o grupo. Ela reagiu, conseguindo imobilizar o assaltante e impedindo o crime. O casal identificado pela Polícia Militar, na noite da segunda-feira, foi detido e chegou a ser levado para a Delegacia Central de Suzano, mas foi liberado logo após ser ouvido. 
Segundo o Serviço de Inteligência da PM, após análise das imagens das câmeras de vídeo das ruas do bairro e adjacências, antes da tentativa de roubo na porta da escola, passou um Fiesta prata com vidros escuros. O veículo teria circulado em ruas diferentes de um bairro próximo também no dia anterior. Na manhã da última sexta-feira, por exemplo, o carro teria passado em uma rua do Jardim Imperador, antes de um ladrão render um morador e levar o carro dele. A coincidência chamou a atenção dos policiais, que conseguiram obter a placa do automóvel.
Queixa falsa
Em pesquisa, a PM constatou que o carro era roubado. No entanto, ao verificar o horário do crime, souberam que tinha sido cerca de duas horas depois da tentativa de roubo na porta da escola. O fato causou estranheza e a dona do veículo foi chamada para depor na delegacia. Em instantes, o marido dela também seguiu para o Distrito Policial, na companhia de um advogado. Já no DP, ele teria dito aos policiais que conhecia o homem morto, que eram amigos de infância, mas que no sábado apenas deu-lhe uma "carona", desconhecendo a intenção do suspeito. Ele também admitiu ter pedido à mulher que desse queixa falsa de que o carro deles havia sido roubado, assim que percebeu o que o amigo havia feito. Os dois foram ouvidos e liberados.
A PM disse à Polícia Civil que o homem já tinha passagem por subtrair veículos. Agora, os investigadores irão colher mais dados sobre o caso, para saber se o casal teve alguma participação de fato no episódio.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos