Cidades
Publicada em 08/08/2018 - 23h20min

Rinaldo Junior*
Poá

Reunião entre secretário e os professores ocorre às 10 horas

Em pauta o desconto nos salários dos profissionais em razão da greve e o remanejamento de sete servidores

Foto: Mogi News

Evento será sediado na Câmara e terá a participação do sindicato da categoria
Os servidores da Secretaria de Educação de Poá realizarão hoje, às 10 horas, na Câmara, uma reunião com o chefe da pasta, Carlos Humberto Martins Duarte, para discutir os descontos dos salários dos funcionários que estiveram em greve este ano, a realocação dos professores do local de trabalho, entre outras medidas. As informações foram divulgadas na manhã de ontem pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Educação Pública Municipal da Estância Hidromineral de Poá (Sintep), Edgar Passos. Além da reunião, o sindicalista comentou sobre a sessão realizada anteontem na Casa de Leis.
No primeiro dia de agosto, o vereador Saulo Souza (SD) protocolou um projeto de Lei que prevê anistia aos professores e demais servidores que participaram da greve. A propositura deveria ser lida no Legislativo na última sessão, entretanto isso não ocorreu. "Nós sabemos que qualquer projeto a favor dos servidores, ou da população, só vai passar com pressão popular", disse Passos.
Já o vereador autor da proposta, comentou que esse processo é normal e o projeto deverá passar por algumas medidas. "Como o projeto foi aprovado no recesso, agora estamos aguardando o parecer da comissão de admissibilidade. Esta etapa prevê a recepção da medida pela comissão, antes de ele ir para a leitura", contou Souza.
O parlamentar destacou quais serão as próximas etapas pela qual a propositura passará. "Na próxima terça-feira será lido no plenário e na outra terça deverá ser votado, esse é o rito normal. Eu espero que não tenha nenhuma tentativa de obstrução. Na última sessão o projeto mostrou que será uma ação polêmica", concluiu.
Em junho, os trabalhadores decretaram uma greve dos serviços que durou 22 dias. Os funcionários solicitavam o aumento dos salários e o ajuste do vale-alimentação. A prefeitura informou que não poderia atender as demandas em razão da crise do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). 
Abaixo-assinado 
O presidente do Sintep também divulgou na manhã de ontem que um abaixo-assinado, promovido pelos professores, coletará o apoio da população em relação os funcionários que estiveram em greve. "Organizamos essa medida para acelerar o trâmite das negociações, além disso, estamos exigindo uma Comissão Especial de Investigação (CEI) sobre o caso dos servidores",
definiu o sindicalista.
*Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos