Cidades
Publicada em 10/10/2018 - 20h04min

experiências pessoais

Palestras debatem direitos das pessoas com deficiência

Evento Acadêmico da Fisioterapia, na Brazcubas, traz campeão paralímpico de bocha adaptada, Fabio Dorneles

Foto: Vitoria Mikaelli

Evento da Fisioterapia (Fibrac) acontece no Auditório VIP da Brazcubas Educação
O campeão paralímpico de bocha adaptada, Fabio Dorneles, estará hoje em Mogi das Cruzes, às 19 horas, para compartilhar sua história de vida inspiradora e contar sua evolução, desde a recuperação do acidente que fez com que perdesse os movimentos das pernas até sua consagração nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México.
A participação do campeão paralímpico faz parte das atividades do Evento Acadêmico da Fisioterapia (Fibrac), que começou ontem na Brazcubas Educação, e tem debatido temas relacionados à deficiência, como as limitações físicas e neurológicas comuns, a falta de informações sobre os direitos das pessoas com deficiência, baixa atuação dos governantes e sociedade em geral para o promoção de políticas públicas voltadas para esse público.
O evento é aberto ao público e para participar basta levar um produto de higiene ou limpeza que será doado ao Instituto Beneficente Viva a Vida. Interessados devem comparecer a partir das 18 horas no Auditório VIP da Brazcubas (avenida Francisco Rodrigues Filho, 1.233, Mogilar). As vagas são limitadas.
Na noite de ontem, foi realizada a palestra Não Somos Diferentes. Fazemos a Diferença, com Jocélia Correa de Camargo, mãe de Rafaela, uma pré-adolescente diagnosticada com distrofia muscular há quatro anos. A palestrante vivenciou na pele os impactos que essa burocratização tem no dia a dia das pessoas com deficiência, levando sua experiência como forma de ajudar as pessoas.
"Quando se fala em deficiência física, pensa-se em acessibilidade, mas as dificuldades englobam várias áreas, como transporte, educação e saúde. Muitas vezes, as pessoas não sabem cobrar seus direitos devido a essa falta de informação, que se estende também aos funcionários públicos. A saída, invariavelmente, é partir para a via judicial", alertou.
Juntamente com mães e amigos de pessoas com deficiência, Jocélia idealizou o Projeto Somos Notáveis, em maio deste ano, que além de disseminar a informação entre os membros da comunidade do Alto Tietê, também busca trazer notoriedade às pessoas que se encontram nessa situação. "Não há um dado oficial, mas a estimativa é que existam cerca de 90 mil pessoas deficientes somente em Mogi das Cruzes, por isso, temos que nos fazer notar", defendeu Jocélia.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos