Cidades
Publicada em 05/12/2018 - 22h29min

Felipe Antonelli
Lei Mogi Mais Viva

Comércio local perde espaço de anúncio

Antes da aplicação da Lei Mogi Mais Viva, que regulamenta a instalação de publicidades na rua, Mogi das Cruzes contava com aproximadamente 180 outdoors distribuídos, incluindo entradas e saídas da cidade

Antes da aplicação da Lei Mogi Mais Viva, que regulamenta a instalação de publicidades na rua, Mogi das Cruzes contava com aproximadamente 180 outdoors distribuídos, incluindo entradas e saídas da cidade. Esse número, porém, foi reduzido para menos de 30 desde a regulamentação da lei. Apesar de sua eficácia na limpeza da cidade, retirando as mídias abusivas de circulação, como carros de som e panfletos, a lei trouxe problemas para o comerciante local que deseja investir em publicidade, já que as mídias externas representam um meio eficiente de comunicação entre a marca e o consumidor. 
O problema da diminuição do número de outdoors na cidade se deve pela falta de espaço que o comerciante local encontra para anunciar sua marca. Empresas de grande porte arrematam esses espaços, hoje limitados na cidade, e deixam as empresas menores sem a possibilidade de anúncio.
Charles Bonafé, dono de uma empresas que produz outdoors em Mogi, afirma que a lei era necessária para a cidade, porém, enfatiza que é necessário que se faça uma releitura da mesma. "Quando uma lei entra em vigor para corrigir uma situação exagerada (publicidade nas ruas) precisa ser firme, como a Mogi Mais Viva foi. O problema é que o benefício que ela trouxe já foi percebido na cidade e hoje se faz necessário algumas adaptações, para que os comerciantes menores tenham mais oportunidade de anunciar", comenta.
O empresário afirma ainda que o uso do outdoor é uma prática legal e que gera receita para a própria cidade. "Entre direta e indiretamente, o uso dos outdoors emprega aproximadamente 180 pessoas. Além, é claro, da receita que gera para a prefeitura", conclui.
Já Marcelo Marcondes de Moura, que também tem uma empresa de outdoor em Mogi das Cruzes, acredita que é necessário que a cidade volte a contar com mais espaço para divulgação de marcas por meio de outdoors. "É fundamental que se haja reuniões e discussões sobre o tema. Pessoas da área como publicitários, comerciantes e engenheiros, precisam conversar cada vez mais, pois só por meio dessas discussões é que haverá legitimidade nas reivindicações feitas por ambas as partes. Uma sugestão de mudança que temos em mente é que se volte a ter ao menos 20% do espaço que a cidade disponibilizava há dez anos", disse, concordando que, antes da lei começar a vigorar, havia um abuso por parte do uso das mídias externas. "As fachadas de alguns comércios realmente geravam uma poluição visual muito grande antes da lei", conclui.
Datas especiais
Ambos os proprietários de empresas que produzem outdoors comentaram também sobre a necessidade da flexibilização da Lei Mogi Mais Viva em datas especiais para o comércio, como por exemplo Natal e Black Friday. Charles Bonafé e Marcelo Moura acreditam que nessas ocasiões se faz necessário a ampliação dos outdoors na cidade devido ao aumento da demanda.
*Texto supervisionado pelo editor.
  • Moura quer 20% do espaço perdido em Mogi
  • Cidade tinha 180 outdoors, hoje são menos de 30
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos