Opinião
Publicada em 29/12/2018 - 20h54min

Recomeço

A flecha do tempo segue sempre para frente, ou o tempo é inexorável. São frases que estamos acostumados a ouvir e que têm embasamento da Física. Pelo o que sabemos, até agora, não é possível voltar no tempo, ou mesmo viajar para o futuro, prova disso é que ninguém veio até agora para dizer o contrário. Sendo assim, a única maneira de viver é seguir adiante.
O ano de 2019 começa depois de amanhã e com ele vem novas expectativas de uma vida melhor. A posse de um governo eleito pelo povo, tanto o estadual quanto o federal, renova as esperanças da população. Ao menos isso foi o que pudemos perceber em uma reportagem do Grupo Mogi News com moradores de Suzano, durante a semana.
Os entrevistados afirmaram que esperam de 2019 um bom governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Segundo eles, o futuro chefe de Estado dará um jeito na velha política e trará soluções para que o Brasil possa crescer, ao menos no mesmo nível que crescia antes de 2014. É torcer para que eles estejam certos.
Este ano que termina em menos de 48 horas trouxe grandes dificuldades para os brasileiros, talvez a maior delas seja justamente a eleição para presidente, em outubro. Com as mídias sociais mais difundidas do que antes, nunca se percebeu uma grande quantidade de fluxo de informações, sejam elas falsas ou verdadeiras, durante um período eleitoral.
Essas informações, somadas ao engajamento político e às denúncias contra as gestões do PT, transformaram o debate de ideias numa verdadeira arena de guerra. Familiares e amigos deixaram de se falar em razão das diferenças de pensamento. Vamos esperar que, para o próximo ano, as diferenças ideológicas continuem existindo, elas fazem parte de uma democracia sólida, com pessoas se respeitando. Dificuldades vão ocorrer, naturalmente, a recuperação da economia - se houver - será lenta, mas o bom sinal é que o mercado de trabalho está contratando mais do que demitindo e isso traz confiança para o brasileiro comprar mais. No mais, fazer um novo ano, também depende de cada um de nós.
Compartilhe

Video

Mais vistos