Cidades
Publicada em 10/01/2019 - 23h05min

Nayara Francesco*
vILA rUBENS

Abandono de terreno desagrada moradores

Área abandonada pertence à EDP Bandeirantes e, com o matagal e esgoto a céu aberto, está gerando insegurança e danos à saúde de quem reside no bairro

Poços a céu aberto, plantação sem cuidados e proliferação de insetos peçonhentos são motivos que levaram a munícipe Fátima Silva, de 52 anos, moradora do bairro Vila Rubens, a entrar em contato com a reportagem do Grupo Mogi News para reclamar das atuais condições da região onde reside.  
A situação deve-se ao abandono de um terreno localizado na rua José Tenório de Aquino. A área pertence à empresa EDP Bandeirantes, e aposentada contou que mora no bairro de Mogi há 35 anos, e, ao longo deste período, tanto ela quanto os vizinhos sempre tiveram que solicitar a limpeza do local.
Supervisionado pela prefeitura, a administração pública informou que a área não é propriedade do município e que atua apenas como fiscalizadora. A empresa foi questionada sobre a situação, que já dura um mês, e informou que encaminhará uma equipe ao local para realizar vistoria técnica e tomar as medidas necessárias. A EDP não adiantou a data nem estipulou um prazo para a realização do serviço. 
A moradora Fátima contou que há cerca de um ano o terreno foi cedido para uma igreja católica para que padres realizassem serviços sociais com a terra. "Começaram com plantações para dar ocupações a moradores de rua e usuários de drogas. No entanto, há cerca de um mês, está tudo abandonado, e alguns que trabalhavam nas terras voltaram a beber e usar drogas", contou. Ela disse ainda que no terreno há três poços a céu aberto, além do mato alto. "Isso pode contribuir para a proliferação da dengue, com a chuva aumenta a água e os poços ficam inundados", desabafou.
A sensação de insegurança também aumentou por conta do abandono do terreno. "Já vimos pessoas estranhas entrando nesse espaço. Um dos vizinhos já presenciou briga, mas não chamou a polícia por medo", relembrou.
A Secretaria Municipal de Segurança informou, em nota, que uma equipe do Departamento de Fiscalização de Posturas será encaminhada ao local para verificar as condições do terreno. Ao detectar irregularidades, o responsável será notificado e deverá realizar os serviços de manutenção e limpeza, de acordo com a legislação municipal.
*Texto supervisionado pelo editor.
  • Água acumulada contribui para a proliferação da dengue
  • Terreno fica na rua José Tenório de Aquino, e há anos, moradores precisam pedir a limpeza à prefeitura
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos