Cidades
Publicada em 11/01/2019 - 23h48min

Lílian Pereira
Oficial

Tarifa de R$ 4,50 para ônibus entra em vigor segunda-feira

Secretário dos Transportes confirmou novo preço da passagem ontem; usuários desaprovam aumento de 9,75%

Foto: Felipe Claro

Almeida explica como os cálculos foram realizados para se chegar ao reajuste
O valor de R$ 4,50 para a tarifa do transporte coletivo municipal já começa a valer na próxima segunda-feira. Até às 23h59 de domingo, quem utilizar o transporte ainda pagará R$ 4,10. A informação foi divulgada ontem pelo secretário de Transportes, José Luiz Freire de Almeida, durante entrevista à Imprensa.
Almeida também ressaltou que um decreto será publicado hoje confirmando o valor da tarifa, que passou por um aumento de 9,75% sobre o preço atual. Para os estudantes, a gratuidade do Passe Escolar não sofrerá alterações no índice de desconto, que corresponde a 41,5% do preço da passagem, ou seja, valerá R$ 1,87. Conforme publicado ontem pela reportagem, o aumento foi aprovado anteontem durante reunião do Conselho Municipal de Transportes, Trânsito e Mobilidade Urbana (CMTTMU).
Duas empresas administram o sistema de transporte de Mogi das Cruzes: a CS Brasil e a Princesa do Norte. Ao todo, 84 linhas circulam diariamente pelo município, com a média de 99,5 mil partidas e 3 milhões de passagens ao mês, de acordo com a Secretaria de Transportes. O chefe da pasta explicou o que foi levado em conta para o aumento. Em relação à CS Brasil, que havia reivindicado o reajuste para
R$ 5,16, 31,51% da passagem são referentes ao combustível e lubrificantes; 41,76% à mão de obra operacional; 14,75% aos veículos e acessórios; e 11,98% às despesas diversas. Já a Princesa do Norte, que reivindicava R$ 5,35, foi levado em conta 40% da variação salarial dado pela operadora; 22% da variação do preço do óleo lubrificante; 24% da variação dos preços por produtos industrializados e 14% do índice acumulado do Índice Geral de Preços (IGP). "Com os pedidos das operadoras, nós fizemos a contagem de todo o material entregue para análise e através desses dados somamos e multiplicamos até chegar a essa tarifa técnica", contou.
Questionado sobre a melhoria no transporte coletivo por conta do aumento da tarifa, o secretário ressaltou que as frotas têm idade média para atuar por três anos. "Em fevereiro, sempre há necessidade de substituição de veículos, é uma exigência de contrato e uma cobrança nossa, então isso vai acontecer", antecipou.
Mudanças
Algumas alterações no trânsito divulgadas no final do ano passado estão previstas para terem início este ano. De acordo com Almeida, estudos para análise das áreas serão finalizados em breve. "Estamos terminando os estudos para as alterações na rua Navajas, na praça Assunção Ramires Eroles, que vai conciliar com o projeto Mogi Mais Ecotietê, e uma mudança muito significativa na avenida Júlio Simões com a avenida Francisco Ferreira Lopes, que terá a rotatória fechada", revelou.

População desaprova aumento da passagem e compara preço com SP

O aumento da tarifa do transporte coletivo não agradou os mogianos. Na próxima segunda-feira, quem utilizar o transporte terá de pagar o valor de R$ 4,50, já que o preço atual de R$ 4,10 ficará vigente até às 23h59 de amanhã

O aumento da tarifa do transporte coletivo não agradou os mogianos. Na próxima segunda-feira, quem utilizar o transporte terá de pagar o valor de
R$ 4,50, já que o preço atual de R$ 4,10 ficará vigente até às 23h59 de amanhã. Este valor está vigente desde 26 de janeiro de 2017, quando ocorreu a última correção. O reajuste foi aprovado anteontem pelo Conselho Municipal de Transportes, Trânsito e Mobilidade Urbana (CMTTMU). A reportagem do Grupo Mogi News esteve nas ruas da cidade na manhã de ontem para saber a opinião da população sobre o reajuste tarifário.
A funcionária pública Ezenilda Teodoro da Silva, de 60 anos, contou que a situação é complicada, já que o salário não acompanha os aumentos. "Na verdade, é muito difícil, o salário não é compatível e sabemos que esse aumento não vai trazer benefícios para nós", contou. O segurança Luis Fernando da Silva Ferreira, 38, também desaprovou o aumento. "Sempre pego ônibus e pago do meu bolso, vou sentir diferença. Esse aumento não é bom", disse.
Alguns passageiros compararam o aumento do município com o da cidade de São Paulo, onde a tarifa subiu de R$ 4,10 para
R$ 4,30. "Acho um abuso esse aumento, é uma diferença grande se comparar com o valor de São Paulo. Eu pago do meu bolso e para andar só 15 minutos, não vale, fora que ainda temos que sair muito cedo de casa para não se atrasar para o trabalho, é muito desagradável", apontou a aposentada Jaci Cristina Jesus Souza, 62. Para o pintor Thiago da Silva Matos, 32, um dos principais problemas é a falta de ônibus. "Eles deviam aumentar a frota de ônibus, sempre está lotado, ficamos presos como em uma lata de sardinha, é um absurdo", declarou.
O autônomo José Valmir Junior, 37, também não aprovou a medida, ressaltando que "é um abuso esse valor". "Acho que em São Paulo os passageiros passam por volta de uma hora dentro do ônibus, sei porque trabalhei lá. Mas aqui em Mogi, pegamos o ônibus e andamos poucos metros só. Não tem cabimento eles aumentarem o valor da passagem", explicou.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos