POP TV
Publicada em 02/02/2019 - 23h22min

Estadão Conteúdo
"Verão 90"

folhetim 'noventista'

Nova novela retrata uma era revolucionária, afinal, ela começou analógica e terminou on-line, com a chegada da internet no Brasil

Foto: Divulgação

As autoras partem da história do trio central de protagonistas, Manuzita e os irmãos João e Jerônimo; os três se conhecem na infância, nos anos 1980, no Rio, têm mães batalhadoras e juntos formam o grupo infantil Patotinha Mágica
A nova novela das 7 horas, "Verão 90", que estreou na última semana, na Globo, é uma trama de época. Pensando bem, soa até estranho usar esse termo para um folhetim situado há apenas duas décadas. Mas, apesar de a década de 1990 ser próxima, foi revolucionária. Afinal, ela começou analógica e terminou on-line, com a chegada da internet no meio do caminho no Brasil. "Essa década mudou a cabeça das pessoas, porque a gente começou nela sem celular, sem internet. Essa diferença da tecnologia torna os anos 90 muito de época. Minha filha com 18 anos não entende aquela época direito", diz Izabel de Oliveira, que divide a autoria da novela com Paula Amaral - as duas já tinham trabalhado juntas em "Malhação". "É uma década agitada, de música", lembra Paula. "Essas coisas estão na nossa memória afetiva, só que a gente não coloca como algo do passado. O celular tijolão que se colocava na cintura, se usava ficha do orelhão, coisas que não existem mais. É uma época diferente do que a gente está vivendo hoje".
As autoras partem da história do trio central de protagonistas, Manuzita (Melissa Nóbrega/Isabelle Drummond) e os irmãos João (João Bravo/Rafael Vitti) e Jerônimo (Diogo Caruso/Jesuíta Barbosa). Os três se conhecem na infância, nos anos 1980, no Rio, têm mães batalhadoras Lidiane (Claudia Raia) e Janaína (Dira Paes), e juntos formam o grupo infantil Patotinha Mágica, que se torna um grande sucesso nacional. Mas, com o final do Patotinha, a fama acaba, e Manuzita acaba se afastando dos irmãos João e Jerônimo.
Há uma passagem no tempo, e a novela avança para 1990. Universitário, João (Vitti) apresenta um programa de rádio. Já Jerônimo (Jesuíta), rival do irmão, não se conforma com o ostracismo e vai fazer de tudo para voltar a ser famoso. "Jerônimo não é um vilão mau. Ele quer se dar bem na vida. Para isso, passa por cima das pessoas, mas ele não tem ódio, nem vingança, ele quer se dar bem. Tem humor", explica Paula. O que faz sua mãe, a íntegra Janaína, sofrer. 
Enquanto isso, Manuzita (Isabelle) tenta a carreira de atriz. O problema é que a garota não tem talento. Mas, incentivada pela mãe, a ex-atriz de pornochanchada Lidiane, ela segue fazendo testes. "A gente fala sobre três caminhos diferentes. O Jerônimo é nosso vilão que não conseguiu se desvencilhar do passado. A Manuzita é uma atriz sem talento, e a mãe quer que ela seja atriz. E o João soube lidar com isso. São três trajetórias diferentes a partir do mesmo sucesso", afirma Paula. 
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos