Cidades
Publicada em 11/02/2019 - 20h35min

Lílian Pereira
Saúde

Programa contra o mosquito Aedes aegypti vai até sábado

Semana começou ontem com treinamento e orientação para 80 brigadistas que atuam nos prédios municipais

Foto: Felipe Claro

Andrea, do Núcleo de Prevenção, orienta sobre formas de eliminação do mosquito
A necessidade de eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya, é o principal objetivo da Semana Estadual de Mobilização Social contra o Aedes Aegypti, iniciada ontem em todos os municípios de São Paulo. Em Mogi das Cruzes, a abertura do evento aconteceu com um treinamento de cerca de 80 brigadistas que atuam em prédios municipais, para que possam realizar o trabalho de eliminação do mosquito. Juntamente com o Núcleo de Prevenção e Controle das Arboviroses, o grupo fará vistorias em imóveis especiais. O evento terminará no próximo sábado.
Apesar de haver uma semana dedicada apenas para combater o mosquito, o treinamento é permanente e o Núcleo atua durante o ano inteiro, fazendo vistorias e estudos. Ainda neste mês, está prevista a conclusão do primeiro estudo anual das áreas com grandes focos de infestação. Ao todo, são quatro estudos anuais.
"Hoje (ontem) demos início à Semana Estadual de Mobilização Social contra o Aedes Aegypti para intensificar as ações de controle do vetor. Os brigadistas farão na prática as vistorias durante essa semana e entregarão um relatório das atividades", contou a educadora em Saúde do Núcleo de Prevenção e Controle das Arboviroses, Andrea Oliveira Costa.
Além da eliminação do mosquito, o objetivo do evento é alcançar o maior número possível de locais com focos. "A população também pode ajudar, basicamente, retirando todo e qualquer objeto que possa acumular água, os pratinhos de plantas, os bebedouros de animais. É preciso muita atenção", destacou Andrea.
Uma das pessoas que participaram do treinamento é a nutricionista da Vigilância Sanitária de Mogi, Debora Iolanda Cardoso, de 43 anos. Ela, que já faz um trabalho de fiscalização junto à Vigilância, explicou como o órgão atua. "Sou da Vigilância Sanitária, então verifico estabelecimentos comerciais. Se por acaso recebemos uma denúncia de um determinado local, vamos para lá e já verificamos as questões de água parada, se há focos ou criadouros do mosquito, por exemplo", contou.
De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), uma das formas de prevenir o Aedes aegypti é utilizar telas em janelas e portas, manter calhas sempre limpas, deixar garrafas viradas com a boca para baixo e limpar semanalmente os pratos de casos de planta com areia.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos