Cidades
Publicada em 13/04/2019 - 20h37min

Cinema

Oficinas do projeto Pontos MIS estão com inscrições abertas

Programa tem parceria com Museu da Imagem e Som (MIS) e aborda chanchadas produzidas entre 1930 e 1960

Foto: Felipe Claro

Centro Cultural de Mogi será palco dessa atração cultural, que ocorrerá no final de abril e início de maio
Estão abertas as inscrições para duas oficinas de cinema trazidas à cidade numa parceria entre a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e o programa Pontos MIS, do Museu da Imagem e do Som. Uma delas, comandada por Leandro Afonso, abordará especificamente as chanchadas, que foram produzidas pelo cinema brasileiro entre as décadas de 1930 e 1960. Já a outra, que terá à frente Bruno Cucio, falará sobre o cinema nacional a partir da década de 1990. Ambas têm participação gratuita.
A oficina "Uma Introdução às Chanchadas", com Leandro Afonso, será realizada no dia 26 de abril, das 19 às 22 horas, no Centro Cultural de Mogi das Cruzes. A proposta é fazer um breve apanhado histórico do período em que o cinema brasileiro, ancorado principalmente na comédia e no musical, mais se aproximou de uma indústria.
O período em questão tem ecos nos anos 1920, deu seus primeiros passos mais firmes nos anos 1930 e seguiu até o início dos anos 1960. Ao longo dele, apareceram alguns dos maiores nomes do século no cinema nacional, muito embora ele costume ser visto como um momento formado por obras, em sua grande maioria, de baixo valor artístico.
Assim, a palestra busca mostrar, analisar e discutir trechos de longas que, sejam pela atuação, pelo roteiro ou pela mise-en-scène, representam as chanchadas e, simultaneamente, trazem qualidade e sofisticação. Há 30 vagas disponíveis para esta oficina e a a idade mínima para participação é 14 anos.
Já a oficina "Transformações da Retomada-O Cinema da Retomada aos dias de hoje", com Bruno Cucio, será realizada no dia 2 de maio, das 19 às 22 horas, também no Centro Cultural. A oficina busca promover a discussão em torno do cinema nacional, a partir do começo dos anos 1990, explorando as inovações estéticas que os cineastas encontraram no período da retomada do cinema brasileiro até a atualidade e as transformações no contexto sócio político cultural.
Para esta oficina, também há 30 vagas disponíveis e a idade mínima para participação é 16 anos.

Sobre os oficineiros

Leandro Afonso é diretor dos curtas-metragens "Argentina, Me Desculpe" (2015), "Habeas Corpos" (2014), "Lara" (2013), "Nunca Mais Vou Filmar"(2012) e está em pós-produção do seu primeiro longa-metragem, "Tio Bruno" (2019)

Leandro Afonso é diretor dos curtas-metragens "Argentina, Me Desculpe" (2015), "Habeas Corpos" (2014), "Lara" (2013), "Nunca Mais Vou Filmar"(2012) e está em pós-produção do seu primeiro longa-metragem, "Tio Bruno" (2019). É graduado em Comunicação pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Pesquisa mise-en-scène, história do cinema, cinema independente, gêneros cinematográficos e cinema latino-americano.
Bruno Cucio é graduado pela FAAP em Cinema, mestrando do departamento de artes da UNESP e sócio da Travessia Filmes. Desde 2009 atua em projetos audiovisuais voltados à produção artística e à formação de público. Foi produtor executivo em Para'í (2017), longa-metragem dirigido por Vinicius Toro e produzido pela Travessia Filmes. Dirigiu o curta-metragem Um Homem Satisfeito (2015), exibido no Festival Internacional de Cine de Punta del Este (2016), no 26º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, entre outros.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos