Cidades
Publicada em 25/04/2019 - 21h36min

Felipe Antonelli*
Estatísticas

Mogi, Itaquá e Suzano registram 12 mortes no trânsito em março

Números do Infosiga mostram que somente em Suzano sete vítimas fatais foram registradas durante o período

Foto: Mogi News

Ocorrências fatais por acidentes com motocicletas seguem no topo das estatísticas
Nas três cidades mais populosas do Alto Tietê, Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba e Suzano, os acidentes de carro fizeram 12 vítimas fatais no mês passado, de acordo com o relatório do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes (Infosiga) de São Paulo, divulgado anteontem. O destaque negativo nos óbitos nas vias ficou para os casos ocorridos em Suzano, que ao longo do março, fizeram sete vítimas fatais. Itaquá, teve um caso a mais do que no mesmo período do ano passado, totalizando três mortes nas estradas.
As mortes no trânsito tiveram redução de 71,4% em Mogi das Cruzes na comparação entre março deste ano com o mesmo período do ano passado. Isso porque, no mês passado, apenas duas pessoas morreram nas vias, contra sete óbitos registrados em março de 2018. Desses acidentes com vítimas fatais, um foi por motocicleta e o outro com automóvel.
Apesar disso, os acidentes fatais com motocicletas são os mais comuns em Mogi e na somatória do Estado de São Paulo. Para se ter uma ideia, desde o começo deste ano, foram registrados 23 mortes nas estradas mogianas, ou que passam pela cidade. Desse montante, dez foram com motocicletas (43,4%), o que significa dizer que, a cada dez acidentes com mortes ocorridos no município, aproximadamente quatro são provenientes de motocicletas.
Com base nos números computados em São Paulo, a redução apresentada em Mogi, foi significativa. Isso porque, a queda das mortes no trânsito, no período analisado, resultou em 21,7%, partindo de 78 para 61 vítimas. O número é, percentualmente, distante da redução registrada na cidade do Alto Tietê.
Ao que parece, as vias municipais estão mais perigosas do que as rodovias estaduais e federais. Isso porque, de todos os casos que aconteceram nas três cidades mais populosas da região, 65% foram registrados nas estradas de responsabilidade das prefeituras, enquanto apenas 30% em rodovias não geridas pelos municípios. O restante das ocorrências, 5%, não está disponível no relatório.
Ainda de acordo com o Infosiga-SP, 83% de todas as vítimas fatais decorrentes dos acidentes de trânsito nas estradas paulistas são homens, enquanto uma pequena fatia, 16,6%, é de mulheres. Divididos por faixa etária, os jovens entre 18 e 24 anos são os que mais morrem.
O relatório aponta ainda que é no período da noite que os acidentes com mortes costumam acontecer com mais frequência, isso porque 50% dos óbitos ocorreram entre 18 e 24 horas. Logo em seguida, está o período da manhã, 6 às 12 horas, com 22,5% das mortes nas estradas.
* Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos