Cidades
Publicada em 25/04/2019 - 21h11min

Thamires Marcelino*
Aedes aegypti

Região tem 74 casos de dengue já confirmados durante o ano

Números da doença levam em conta as cidades mais populosas do Alto Tietê, como Suzano e Itaquaquecetuba

As cinco cidades mais populosas do Alto Tietê já registram, neste ano, 74 casos de dengue. Suzano é a cidade com mais ocorrências, contabilizando 32 confirmações e investigando outras 57, ainda estão sob suspeitas. Mogi das Cruzes é o segundo município com mais registros de dengue constatados, 19 no total.
Segundo informações da Prefeitura de Suzano, as chuvas foram o principal fator para a espalhar o Aedes aegypti. "O período chuvoso favoreceu a proliferação do mosquito em várias regiões do Estado, além do período de férias que promoveu a transição de pessoas para regiões com incidência de casos". Além disso, ainda segundo o Executivo, todas as regiões estão sendo acompanhadas pelas equipes da Vigilância de Zoonoses.
A Prefeitura de Mogi também se pronunciou sobre a situação. "Estamos mantendo atividades de prevenção como bloqueios, vistorias e Avaliação de Densidade Larvária (ADL), que são feitas pelo Núcleo de Prevenção e Controle de Arboviroses", afirmou a administração municipal.
Em Ferraz de Vasconcelos, há sete casos de dengue já confirmados e, segundo a Vigilância Epidemiológica, a Divisão de Controle de Zoonoses realiza todos os dias, nas casas dos moradores, ações para orientar sobre a doença, bem como a limpeza dos quintais, caixas de água, entre outros. As vistorias para identificação de possíveis criadouros do mosquito também são feitas.
Em Itaquaquecetuba foram registrados 103 casos suspeitos de dengue e destes, apenas 14 foram confirmados até o momento. Segundo a prefeitura, coletas para fiscalizar todos os imóveis e saber se há presença de larvas do Aedes aegypti estão sendo feitas. Trabalhos de visitas a escolas, hospitais, postos de saúde e demais espaços de atendimento ao público, além de visitas a pontos estratégicos, loja de sucatas, borracharias também são realizados pelo município.
Já em Poá, apenas dois casos estão confirmados, embora a cidade já tenha notificado 61 e descartado 16. Segundo a prefeitura, mutirões de combate ao mosquito, que também é o transmissor da dengue, zika e chikungunya, estão sendo feitos pela Secretaria Municipal Saúde, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde.
Para o vice-prefeito e secretário de Saúde de Poá, Marcos Ribeiro da Costa, (PDT), o Marquinhos Indaiá, os mutirões são extremamente importantes, já que é feito um trabalho de conscientização da população. "A ação de combate e prevenção é realizada diariamente e o mutirão intensificará as ações que são realizadas periodicamente", afirmou.
Além dos mutirões, as equipes de agentes de Controle de Endemias realizam inspeções, denúncias, vistorias em locais públicos, palestras e a cada trimestre a ADL, com o objetivo de mapear os principais pontos de atuação do Aedes aegypti em Poá.
*Texto supervisionado pelo editor.

Principais formas de prevenção

 Evite o acúmulo de água parada. É importante jogar fora pneus velhos e virar garrafas com a boca para baixo, porque o mosquito coloca seus ovos em água limpa
 Coloque areia nos vasos de plantas, geralmente estes recipientes reservam água e a areia consegue absorvê-la e não deixar a quantidade acumulada
 Não despeje lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos
 Limpe as calhas, grandes reservatórios como caixas d'água são os criadouros mais produtivos de dengue
 Use repelente principalmente em viagens ou em locais com muitos mosquitos
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos