Cidades
Publicada em 14/05/2019 - 21h47min

Felipe Antonelli*
Irregular

Alto Tietê tem 18 mil 'gatos'na rede de energia elétrica

Levantamento divulgado ontem pela EDP mostrou que 1,9% das ligações são realizadas de forma criminosa

Foto: Mogi News

Itaquaquecetuba e Mogi das Cruzes encabeçam o ranking nessas irregularidades
O Alto Tietê conta com mais de 18 mil ligações irregulares de energia elétrica, contabilizados pela EDP, empresa responsável pela distribuição de energia elétrica na região. O número é equivalente a 1,9% do total de ligações, estimado em 939 mil, de acordo com dados da própria EDP, revelados no ano passado. Com 61,1% do montante, o município com maior número de "gatos", como é popularmente conhecida a apropriação de energia elétrica, é Itaquaquecetuba, com aproximadamente 11 mil casos. Na sequência surge Mogi das Cruzes, com 3 mil ligações irregulares, o que representa 16,6% do total. O outros 22,3% estão divididos entre as demais cidades da região.
A EDP é responsável pela distribuição do serviço em quatro regiões, que ao todo, contabilizam 50 mil ligações irregulares, que devem ser regularizadas nos próximos 24 meses. Apenas Guarulhos, com mais de 1,3 milhão de moradores, apresenta 25 mil ligações inapropriadas. Logo após seguem o Alto Tietê (18 mil), litoral norte (5,5 mil) e por fim o Vale do Paraíba (1,5 mil).
Segundo a EDP, os impactos dos "gatos" atingem a sociedade em cinco frentes: classificada como mais importante, a primeira é a segurança, já que na maioria das vezes essas ligações clandestinas são precárias, o que expõem o responsável do imóvel, e toda a vizinhança; outro ponto prejudicado diz respeito à qualidade do serviço, uma vez que as oscilações e interrupções se tornam frequentes. A questão do aumento da tarifa também foi citada pela empresa, que afirmou que "alguém tem que pagar a conta", já que com a fraude há perda de energia; também no âmbito financeiro, o Estado fica sem receber o imposto sobre essa energia, o que na prática, retira dos recursos dos cofres públicos. Para finalizar, o meio ambiente também perde, devido ao aumento de consumo que as ligações irregulares geram.
O trabalho de regularização dessas unidades clandestinas teve início em abril no bairro Parque Piratininga, em Itaquá, e paralelamente em Suzano. A EDP explicou que a regularização está sendo feita em diversas áreas, mas informou que a vinda do projeto à Mogi vai acontecer quando a demanda de Itaquá já estiver avançada, podendo haver o trabalho paralelo nos dois municípios.
O gestor operacional da EDP, Fábio Sapucaia, informou que o papel da empresa é levar a energia com maior qualidade e segurança para a população. "Lembrando que o furto de energia elétrica é crime e que por todos esses motivos, a denúncia dos próprios moradores é fundamental, pois por meio dela conseguimos mapear as áreas que estão irregulares", ressaltou Sapucaia.
As denúncias podem ser feitas pelo site www.edp.com.br, pelo aplicativo EDP on-line, ou pelo telefone 0800 721 0123.
*Texto supervisionado pelo editor.
 
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos