Opinião
Publicada em 08/05/2019 - 23h05min

Cedric Darwin

CPMF x CP

Quem é mais jovem talvez não saiba o que significa CPMF. A Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras foi criada pelo governo federal sob a justificativa de financiar a saúde pública. Depois, foi estendida para a Previdência Social e fim da pobreza. De 1997 a 2007 a CPMF abocanhava todas as movimentações financeiras em 0,38%. Pobres e ricos eram tributados.
Obviamente a saúde pública não melhorou, a Previdência não foi equalizada e pobreza não foi erradicada e a CPMF estava integrada ao insano cancioneiro tributário até que o Senado pôs um ponto final não a renovando. Sob a ótica arrecadatória foi extremamente eficaz, pois todos eram tributados. Então o atual secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, contrariando o discurso político de seu chefe, Jair Bolsonaro (PSL), afirma que estão em seus planos a criação da Contribuição sobre Pagamentos, a CP, que ressuscita a malfadada CPMF. Com alíquota maior, de 0,45%, incidiria sobre qualquer pagamento efetuado no Brasil, inclusive em dinheiro. A desculpa? Financiar a previdência.
Como toda maldade governamental, todas as propostas sempre tem um motivo irrecusável: a saúde pública, a Previdência Social o fim da pobreza, causas tão nobres que ninguém pode ser contra. Assim como a reforma Trabalhista de 2017 não gerou nenhum emprego e só deteriorou as relações a reforma da Previdência também não vai gerar mais empregos como anunciou Paulo Guedes, ministro da Economia.
O que gera empregos é a desburocratização e a desoneração da folha de pagamento. Isso eles também falam, mas querem que todos paguem a conta, retirando os encargos previdenciários dos empregados e patrões e passando para toda sociedade por meio da expropriatória Contribuição sobre Pagamentos. Os recursos devem vir de algum lugar, mas esse lugar deve ser da geração de riqueza e não da movimentação bancária. A tributação deve mirar os mais ricos, mas ai o governo mira em si mesmo e nos grandes interesses econômicos, os verdadeiros detentores do poder.
Compartilhe

Video

Mais vistos