Especiais
Publicada em 06/06/2019 - 00h09min

Felipe Antonelli*
haja fôlego

Equador busca primeira conquista na competição

Desempenho da seleção só é positivo quando atua favorecida pela altitude do país

Com um retrospecto que não anima sua torcida, a seleção do Equador vem ao Brasil para tentar conquistar seu primeiro título na Copa América. Ao lado da Venezuela, a seleção nunca levantou a taça, e teve sua melhor colocação em 1993, quando foi a quarta colocada. Mas o principal desfalque - sem mencionar o corte do meio campista Sornoza, do Corinthians - é justamente a melhor arma da equipe: a altitude do país.
Para se ter uma ideia do quanto o fator casa sempre foi determinante para os equatorianos, e também para analisar o desempenho recente da equipe, basta observar seus últimos dez confrontos: dois empates, sete derrotas e apenas uma vitória, coincidentemente, ou não, esta última dentro de seus domínios, onde o ar é mais rarefeito e os adversários sofrem com a questão física.
Para a competição, destaque para o bom zagueiro equatoriano Robert Arboleda, que atualmente joga no São Paulo, e está convocado para a competição. O zagueiro era dúvida nesta competição já que vem se recuperando de uma lesão, mas foi bancado pela comissão técnica e deve ser titular.
O futebol no país ainda não é uma realidade concreta, visto que disputou apenas três Copas do Mundo e não alçou grandes voos. Porém, essa é uma realidade que deve ser mudada com o bom trabalho feito em suas categorias inferiores. A seleção do Equador é a atual campeã sul-americana na categoria Sub-20, enfrentando os gigantes do continente.
Longe da altitude que por diversas vezes já aprontou surpresas, principalmente para as seleções da América do Sul, o Equador precisa encontrar fôlego para tentar a primeira conquista do torneio, enquanto espera que a boa geração que está vindo, comece a mudar essa realidade.
* Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe

Video

Mais vistos