Cidades
Publicada em 08/10/2019 - 21h38min

Suzano

Rodrigo Ashiuchi se reúne com ministro da relações exteriores

Encontro ocorreu em Tóquio, capital do Japão, durante o penúltimo dia de viagem do prefeito à nação asiática

Foto: Divulgação/Secop

Ashiuchi ao lado do ministro Motegi, de Akeo Yogui e Euclides de Paula Araújo
O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PL), se reuniu ontem com o Ministro das Relações Exteriores do Japão, Toshimitsu Motegi, na sede do órgão governamental, em Tóquio. O encontro teve o objetivo de estreitar os laços entre o município e o país oriental, além de fomentar os vínculos comerciais, culturais e econômicos.
Também participaram o presidente da Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo (Enkyo), Akeo Yogui, o supervisor de Relações Institucionais da Honda Brasil, Euclides de Paula Araújo, e líderes nikkeys de outras nações e autoridades japonesas.
Segundo Ashiuchi, a reunião foi positiva, principalmente por ter conseguido apresentar Suzano ao ministro japonês. "A atuação do Ministério das Relações Exteriores é muito forte aqui e tem um grandioso trabalho pelo mundo. Este órgão representa e promove negociações do Japão com outros países, inclusive com o Brasil, tratando de vertentes econômicas e comerciais. Nosso objetivo é conseguir mais investimentos para a cidade, com novos projetos e empresas", destacou o prefeito.
Este foi o penúltimo dia da jornada no chefe do Executivo suzanense no Japão, onde participou de cursos e palestras e de encontros com autoridades locais e empresários. A missão oficial termina hoje.
Agenda anterior
No último domingo, em Hiroshima, o prefeito Rodrigo Ashiuchi e outros líderes nikkeys do mundo foram convidados para uma palestra e também para conhecer a história da cidade no Memorial da Paz.
No local, foram recebidos pelo professor Takashi Teramoto, um dos sobreviventes da bomba atômica lançada em Hiroshima no dia 6 de agosto de 1945, no fim da Segunda Guerra Mundial, que matou mais de 140 mil habitantes de uma só vez e que deixou inúmeras pessoas acamadas por causa da radiação.
"Na época, o professor Takashi Teramoto contou que tinha 10 anos e que perdeu toda a família, amigos e vizinhos, a apenas um quilômetro do epicentro da explosão da bomba. Ele disse que, apesar de ter vivido uma vida cheia de traumas e de cicatrizes, hoje entende que sua missão é de propagar a verdadeira história e de poder se reunir com os jovens líderes do mundo para orientar e aconselhar para que a humanidade nunca mais se depare com tal tragédia, lembrando que Hiroshima só foi reconstruída a partir da união, da solidariedade e do voluntariado do seu povo. Por fim, ele disse que devemos lutar contra o preconceito na busca pela paz mundial", concluiu Ashiuchi. 
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos