Cidades
Publicada em 26/10/2019 - 22h27min

Felipe Antonelli
Concessão

Estado apresenta futuras mudanças na malha viária

Artesp divulgou as obras que propõe para melhorar o trânsito rumo ao litoral; trecho urbano será afetado

Foto: Amilson Ribeiro

Obras têm previsão para iniciar em 2 anos e fazem parte da concessão das rodovias
A consulta pública do lote de concessão de rodovias paulistas que dão acesso ao litoral está disponível no site da Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp) desde a noite da última sexta-feira, com detalhes dos pontos específicos que sofrerão grandes mudanças nos próximos anos.
O que certamente chama mais atenção é a construção de sete "travessias, viadutos ou pontes" (como sugere o edital da concessão) em regiões urbanas de Mogi das Cruzes, como por exemplo, na descida da avenida Japão, onde atualmente está localizado o supermercado Alabarce, sobrepondo a avenida Henrique Peres. Ainda nas redondezas, a avenida Henrique Peres também sofrerá outra grande intervenção, já que o departamento estadual planeja criar uma ligação da avenida com a rua Santa Dionizia, no Jardim Universo.
Obras de tal magnitude também poderão ser observadas em outros trechos da cidade, como por exemplo no cruzamento entre a avenida Valentina Mello Freire Borenstein com a rua David Bobrow, na qual haverá um dispositivo de interligação entre as vias, com o intuito de fortalecer a Rota do Sol, como almeja a Artesp.
Dispositivos de acesso nas interligações entre as avenidas David Bobrow e Henrique Peres e entre as avenidas Joaquim Pereira de Carvalho no acesso a avenida Valentina Mello Freire Borenstein também estão previstos. Vale ressaltar que, de acordo com o cronograma do Artesp, essas últimas intervenções citadas devem começar apenas em 2024.
Mogi-Dutra
No trecho da Mogi-Dutra haverá a implantação de dois dispositivos chamados de trombeta, quando há desnível na pista para rotatórias, instaladas nos quilômetros 32 e 48,2. Na Mogi-Bertioga, o sistema instalado para acesso será no estilo diamante, nos quilômetros 57,6; 60,5 e 62,9, que devem ser implantadas a partir de 2027.
Trecho de serra
Além da já anunciada duplicação da estrada do Evangelho Pleno, conhecida como estrada do Pavan - em um trecho de 1,4 quilômetros - e do trecho de 6,4 quilômetros da Mogi-Bertioga, entre Taiaçupeba e Biritiba Ussú, a Artesp também revelou as adequações e instalação do sistema multifaixas do quilômetro 56,9 ao 63, da rodovia, que deve ser realizada a partir de 2026.
Ponte Rio Guacá
Na semana passada, a Artesp detalhou como serão as obras na ponte do rio Guacá, na rodovia Mogi-Bertioga. Na última sexta-feira, o departamento indicou que tais obras devem começar apenas em 2023.
Acostamento
Estão previstos 22,3 quilômetros de acostamento na Mogi-Bertioga, partindo do quilômetro 98,1 ao 75,8, sentido litoral paulista, a serem desenvolvidos a partir de 2026.
Passarelas
Ao todo, serão dez passarelas instaladas em Mogi, sendo que três destas, na Mogi-Bertioga, já possuem locais exatos: km 59,8; km 60,3 e km 68,3, com obras programadas para começar em 2026. As outras sete travessias do tipo ainda não possuem local determinado em edital, mas serão construídas na Rota do Sol, a partir de 2024.
Rampas
Em resumo, três grandes caixas de brita (área adjacente às pistas) serão instaladas no trecho de serra da Mogi-Bertioga, com previsão de instalação a partir de 2023.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos