Cidades
Publicada em 23/01/2020 - 23h12min

Felipe Antonelli
Santa Casa

Reunião com Estado definirá estratégias para Maternidade

Medidas que levaram à suspensão do atendimento no setor serão apresentadas à Secretaria da Saúde e Cross

Foto: Amanda Miwa

Para Bastos, as mudanças deram resultado e, por isso, devem ser mantidas
As medidas que foram tomadas pela diretoria da Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes para que o atendimento da Maternidade não fosse comprometido podem se tornar oficiais e mantidas para os próximos anos. Isso porque, hoje está marcada uma reunião entre representantes da Santa Casa de Mogi com a Secretaria de Estado da Saúde e a Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde (Cross), na qual deve ser pleiteado que algumas das medidas sejam instauradas permanentemente, com o intuito de aliviar a alta demanda recebida pela Santa Casa e manter a segurança no atendimento.
A principal das ações tomadas foi a transferência de bebês com potencial de nascimento prematuro para outros hospitais da macrorregião do Alto Tietê, além das medidas tidas como estruturais, como a disponibilização de uma ambulância 24 horas na unidade, a contratação de médicos e profissionais de enfermagem para atender a alta demanda e o aluguel de alguns equipamentos, dentre outras.
A informação foi passada ontem à reportagem pelo diretor técnico da entidade, Ricardo Bastos, que disse ainda que tais medidas foram essenciais para a diminuição no número de gestantes e recém-nascidos na unidade e a certeza do bom atendimento. "A gente tem 25 leitos na unidade Neonatal, com 28 bebês e na Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) Neonatal, temos 15 bebês em 10 leitos", pontuou. Os números são bem menores dos que os apresentados no começo do mês, quando havia 42 recém-nascidos em toda a unidade, fato que, de acordo com o diretor Bastos, implicava em muitos riscos à população que estava sendo atendida.
Há uma tendência, segundo Bastos, que as medidas sejam mantidas e a redistribuição da demanda de menor urgência seja destinada a outros hospitais. "Todas as medidas deram resultado, então, nada melhor do que manter o que está dando certo", concluiu. Vale ressaltar que ainda não há a certeza de quais dessas medidas serão mantidas a longo prazo, decisão que será tomada apenas hoje, após a avaliação dos setores envolvidos.
Suspensão
No dia 8 deste mês, os atendimentos na Maternidade da Santa Casa foram parcialmente suspensos em virtude da superlotação na unidade. A orientação era - e segue assim - que todas as gestantes de baixo e alto risco procurem atendimento em outros hospitais da região, destacados pelo Estado, visto que apenas os casos de urgência e emergência serão efetuados pela instituição.
Para o diretor da Santa Casa, a construção da Maternidade Municipal, que está em andamento no distrito de Braz Cubas, juntamente com a reforma da Santa Casa que também já teve início, resultarão num melhor atendimento de Saúde Pública em Mogi, eliminando gargalos atualmente existentes na cidade. "São duas linhas de trabalho que vão ajudar e muito a Santa Casa e trazer muitos benefícios", concluiu o diretor Bastos.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos