Cidades
Publicada em 14/02/2020 - 01h40min

Thamires Marcelino*
Sem alvará

Transporte escolar irregular: problema comum

Na temporada de volta às aulas, muitos pais contratam os transportes escolares para efetuar a locomoção dos filhos. Mas é preciso ter cautela ao assinar um acordo para adquirir o serviço, já que não é incomum pessoas que oferecem esse tipo de serviço de forma irregular. Sem a regularização para atuar com os alunos e, muitas vezes, sem equipamentos de segurança, os motoristas podem colocar em risco a vida dos passageiros. 
O integrante da Comissão dos Transportadores Escolares de Mogi das Cruzes, Gerson de Godoy, explicou que o principal impasse é o serviço dos motoristas que atuam sem regulamentação. De acordo com ele, são necessários diversos recursos para atuar no ramo, como ter o veículo regularizado, equipamentos de segurança, monitores de alunos e um curso específico para trabalhar com crianças. "Os motoristas não regulamentados têm documentação necessária para circular, mas apenas para a locomoção extracurricular de alunos. Para eles realizarem o mesmo trabalho que o nosso é preciso o domínio de outras documentações", delimitou.
De acordo com a Secretaria de Transportes de Mogi das Cruzes, todos os motoristas que têm o serviço regulamentado possuem um alvará que permite o funcionamento a tal finalidade. "Se regulares os itens de segurança e mecânica, o veículo recebe o selo de vistoria e o alvará", finalizou a Pasta. 
*Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos