Cidades
Publicada em 14/02/2020 - 00h12min

Itaquá

Cidade solicita ao Estado instalação de um AME

Pedido ocorreu durante encontro com secretário de Saúde, José Henrique Germann Ferreira

Foto: Divulgação

Secretário Germann Ferreira recebe o deputado Prado e o prefeito Nakashima
A instalação de um Ambulatório Médico de Especialidades (AME), em Itaquaquecetuba, foi o pedido que o deputado estadual André do Prado (PL), o prefeito Mamoru Nakashima (PSDB) e o secretário municipal de Saúde, William Harada, fizeram ao secretário de Estado de Saúde, José Henrique Germann Ferreira, durante reunião em São Paulo.
Prado argumentou que Itaquá já deveria ter sido contemplada com um AME. "É uma grande cidade do Alto Tietê, com mais de 350 mil habitantes e com uma grande demanda por exames da região. É fundamental que o Estado possa verificar a possibilidade de instalar este equipamento no município", argumentou o parlamentar.
O prefeito Nakashima reforçou a necessidade de um AME na cidade para que possa dar mais agilidade no atendimento por exames. "Esta é uma necessidade urgente para o município que tem unidade de referência para o atendimento, mas falta um serviço mais ágil para a realização de exames", comentou.
O secretário Germann Ferreira firmou o compromisso de avaliar o pedido. Ele também disse que colocará a cidade na programação da carreta do programa Mulheres de Peito para ajudar a reduzir a fila por exames de mamografia. O mesmo acontecerá em relação aos procedimentos oftalmológicos, nos quais a cidade terá prioridade em iniciativas do governo do Estado.
Poá reivindica
O prefeito de Poá, Gian Lopes (PL), também esteve reunido com o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira, em São Paulo. Os secretários municipais Flávio Verdugo (Saúde), Alexandre Provisor (Administração) e o chefe de Gabinete, Rogério Tarento, participaram do encontro.
Desde o ano passado, Poá sofre com a queda da arrecadação em torno de
R$ 180 milhões por ano com a saída das operações do Banco Itaú da cidade.
O deputado André do Prado explicou a situação ao secretário e o que isso poderá acarretar em prejuízos no atendimento à população. "Poá enfrenta um dos maiores problemas de sua história com a queda de receita. Por isso, solicitamos ao senhor ajuda para que o município possa manter os serviços de saúde", comentou o parlamentar.
Na avaliação do prefeito Lopes, a contribuição do Estado neste momento será fundamental, uma vez que a cidade perdeu mais de 40% de seu orçamento com a saída da instituição financeira. "Nós fizemos toda a lição de casa com uma profunda avaliação das despesas a fim de nos adequar a esta nova realidade. Mesmo assim, precisaremos que o governo nos ajude com repasse de recursos para o atendimento à população", frisou Lopes.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos