Cidades
Publicada em 14/02/2020 - 01h42min

Felipe Antonelli
Doce Lar

Creche desmente boato sobre perda de vaga por falta de material

Em resposta às afirmações feitas por pais de alunos do Centro de Educação Infantil Municipal (Ceim) Professora Thereza Amorim Martinez (Doce Lar), reclamando de itens que estão presentes na lista de material escolar para este ano, a Associação Beneficente Doce Lar desmentiu a informação de que os alunos que não tiverem os produtos perderiam a vaga na unidade. A possibilidade foi relatada pelos próprios pais dos alunos, que foram bombardeados com a tal informação nas redes sociais.
A entidade afirmou que o material escolar, em qualquer fase do ensino, é um instrumento facilitador para o desenvolvimento do aprendiz e que trabalha para que todas as crianças tenham a mesmas oportunidades. "O aluno tem o seu material escolar como o cirurgião conta com seu instrumental cirúrgico, o motorista com o seu carro, o mecânico com sua oficina. Só a ferramenta não faz um bom profissional, mas a sua falta compromete-lhe a competência", explicou a Associação Doce Lar, em nota.
Além disso, em relação aos materiais solicitados, com papel EVA, papel laminado, entre outros, a entidade afirmou que tais produtos estimulam a coordenação motora (rasgar, amassar, colar), a expressão e criatividade. "As atividades que colaboram com a coordenação motora necessitam de instrumentos que permitam a realização da mesma, durante todo o ano temos 200 dias letivos nos quais se desenvolve diversas ações educativas que necessitam destes materiais", ressaltou.
O assunto foi levado ao plenário da Câmara Municipal na tarde da última quarta-feira, quando o vereador Iduigues Ferreira Martins (PT) disse ter sido solicitado por diversos pais para tratar sobre o tema, alegando que estavam com medo de não ter seus filhos matriculados na unidade de ensino pela falta do material escolar exigido pela unidade. "Uma criança de seis meses, que está no berçário, tem que levar 600 folhas sulfite, folhas de EVA, e todo estes itens? Não faz sentido", argumentou o parlamentar durante a sessão.
A Secretaria Municipal de Educação informou à reportagem que foi feita a entrega dos kits de material escolar de toda a rede municipal de ensino na primeira semana de aula e que não apoia estas listas de material imposta pela creche.
Compartilhe

Video

Mais vistos