Cidades
Publicada em 17/02/2020 - 23h14min

Thamires Marcelino*
Inatividade presumida

Em Suzano, 106 empresas têm inscrição estadual suspensa

Pesquisa da Secretaria da Fazenda e Planejamento é referente aos meses de julho, agosto e setembro de 2019

Foto: Divulgação

Contribuintes que estão na lista da Secretaria de Estado da Fazenda devem procurar o órgão para regularização
Um levantamento divulgado pela Secretaria de Estado da Fazenda e Planejamento, na semana passada, apontou um total de 106 empresas de Suzano com a inscrição estadual suspensa por omissão consecutiva na entrega de informações. Sem a inscrição regular, a empresa fica impedida de emitir nota fiscal. O número corresponde aos meses de julho, agosto e setembro do ano passado. No levantamento referente ao trimestre anterior, o município havia registrado 272 empresas na mesma situação.
Só nas cidades que compõem o G5 da região (Suzano, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba e Mogi das Cruzes), 437 empresas estão em situação de inatividade presumida. Os dados podem ser consultados no site do Cadastro de Contribuintes de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do Estado de São Paulo. No levantamento divulgado em novembro do ano passado, os municípios, juntos, tiveram 1.103 empresas com o registro cassado.
Em Mogi das Cruzes, 261 empresas tiveram a inscrição estadual suspensa também nos meses de julho, agosto e setembro do ano passado. Isto significa que todas ficaram prejudicadas, já que a inscrição é um documento importante e, sem ele, todas as instituições privadas ficam impedidas de emitir as notas fiscais até que a situação seja efetivamente regularizada.
No município de Ferraz de Vasconcelos, 31 empresas foram registradas como participantes da lista de inatividade presumida. Em Poá, a quantidade total foi de 21 inscrições cassadas.
Já em Itaquaquecetuba, 17 empresas privadas foram enquadradas nesta situação pela Secretaria da Fazenda. O número é o menor registrado no período de junho, agosto e setembro de 2019, se comparadas todas as cidades do G5 do Alto Tietê. Apesar disto, ainda é preciso ter cautela e manter a preocupação com todas a documentação e pagamento de impostos.
* Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos