Artigos
Publicada em 25/03/2020 - 23h40min

Paulo Passos

Esquecidos

A pandemia do vírus corona, com seus reflexos sobre o país, tem feito com que as entrevistas das autoridades públicas se repitam.
Trazendo ao conhecimento da população as medidas tomadas na tentativa de que aqui não ocorram as catástrofes noticiadas no exterior, tornaram-se, alguns desconhecidos gestores, figurinhas fáceis e identificáveis.
Há que se aplaudir tais atitudes, que, embora, na maioria das vezes tragam inquietantes alardes, ao menos, soam verdadeiras, mostram-se transparentes, dão os exatos termos do combate renhido a que se propõem.
No entanto, ao que parece, os conselhos são voltados a uma parte da sociedade: aquela que tem um lar onde se abrigar, água a vontade, sabão para a higiene constante - nem me refiro ao álcool em gel - e dinheiro para estocar alimentos.
Ou muito me engano - e nesta altura da vida os lapsos costumam acontecer -, não ouvi nenhum plano especial, qualquer estratégia política que dê alento aos "moradores de rua".
Seres fantasmas, como tantas vezes alertei neste espaço, a miopia dos governantes - incluindo-se no bolo, o federal, os estaduais e os municipais - faz com que não sejam vistos, e daí, contemplados com o que se promete aos outros.
Ou, pergunto: como se assearem, se não têm, sequer, como suprir as necessidades fisiológicas? Onde - a não ser quando um favor valioso lhes é prestado, eis que constantemente enxotados - conseguirão higienizar as mãos? Fazer uso de máscaras - que não as carnavalescas, rotas, deixadas pelos cantos depois das festas de Momo - ou comprarem comida à mais, soaria risível, não fosse o tragicismo da situação.
Continuem ao Deus dará!
Ao sinal dos sintomas, peregrinarão em busca de um posto da saúde qualquer, e, depois da costumeira má vontade no atendimento, serão diagnosticados com uma "gripezinha"; não engrossarão as estatísticas sobre a Covid-19 se morrerem, ao relento, sob a "proteção" de marquise ou pontilhão, únicos abrigos que lhes restaram.
Afinal, os "da rua" não votam. Danem-se, então!
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos