Cidades
Publicada em 18/07/2020 - 19h35min

Felipe Antonelli
Distanciamento social

Festas tradicionais ficam ameaçadas pela Covid-19

São Paulo condicionou a programação de fim de ano à disponibilização de vacina, e o mesmo serve para região

A Covid-19 tornou atípico todo ano de 2020, independentemente de como a pandemia vai se comportar nos próximos meses. Assim como a rotina do comércio, trabalho, transporte e lazer foram afetadas; com os grandes eventos - nacionais e internacionais - não foi diferente.
Pela primeira vez na história, por exemplo, os Jogos Olímpicos foram adiados e ocorrerão fora do calendário oficial, em 2021. As eleições municipais, realizadas habitualmente em outubro, também foram transferidas para novembro. Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) condicionou a realização do Réveillon 2020 e do Carnaval do ano que vem à disponibilização da vacina contra o coronavírus.
Tamanho são os reflexos da pandemia, que grandes eventos no Alto Tietê começam a ficar ameaçados, seja por evitar aglomerações, baixa receita dos municípios, ou até mesmo pela falta de motivos para se comemorar em meio a centenas de mortes em decorrência da doença.
Guararema corre o risco de não oferecer o principal evento do ano - o Guararema Cidade Natal -, que atrai cerca de 500 mil turistas no último mês do ano. A festa que a cidade promove com destaque para a decoração natalina já se tornou tradicional entre os moradores do Alto Tietê e de outros pontos do Estado. Assim, os cofres do município, afetados pela pandemia, poderão ter mais problemas financeiros, já que a programação realizada em dezembro gera renda aos comerciantes e traz uma importante receita à administração municipal.
Para ser ter ideia da importância e relevância do evento ao município e à região, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) teve que autorizar o Consórcio Unileste a realizar uma operação especial da linha 208 Guararema (Terminal Rodoviário de Guararema) - Mogi das Cruzes (Terminal Rodoviário Geraldo Scavone) para atender os visitantes da 10ª edição do Guararema Cidade Natal, no ano passado.
Em tempos de pandemia, a recomendação é o distanciamento social, logo,  tamanha aglomeração é impensável. Com o lema atual "Visite Guararema, Mas Não Agora", fica claro o intuito de manter as pessoas distantes dos limites do município, o que poderá se estender até o final do ano. Até mesmo a curta resposta da Prefeitura mostra, como não deveria deixar de ser, que a principal festa da cidade está ameaçada. "Não temos informações sobre o evento Guararema Cidade Natal, pois estamos todos voltados para o controle da pandemia da Covid-19", informou o prefeito Adriano Leite à reportagem. 
A realidade de incertezas sobre as festividades de Guararema também é a de outras cidades da região que festejam o Natal e a virada de ano. No mesmo sentido, as Prefeituras de Guararema, Suzano e Itaquaquecetuba se mostraram preocupadas no combate da pandemia, não confirmando a realização de eventos natalinos.
Ainda é cedo para entender qual será o impacto do coronavírus na realização de grandes eventos no Alto Tietê nos próximos meses, mas, certamente, as comemorações de serão atípicas.
  • Impensável: Evento atrai cerca de 500 mil turistas
  • Por conta da pandemia, evento Guararema Cidade Natal corre o iminente risco de não ocorrer neste ano

Sem comemoração de aniversário, Mogi poderá perder cerca de R$ 3,5 milhões

Mogi completa, em setembro, 460 anos e, certamente, as festividades seriam marcantes. Entretanto, vivenciando as incertezas relacionadas ao coronavírus, a Prefeitura Municipal já admitiu que seguirá as orientações do Plano São Paulo, que norteia a retomada gradativa da economia

Mogi completa, em setembro, 460 anos e, certamente, as festividades seriam marcantes. Entretanto, vivenciando as incertezas relacionadas ao coronavírus, a Prefeitura Municipal já admitiu que seguirá as orientações do Plano São Paulo, que norteia a retomada gradativa da economia.
Além do aniversário que se aproxima, Mogi das Cruzes também costuma disponibilizar uma extensa programação em alusão ao Natal, como a tradicional Cantata e o Encanto de Natal, que teve sua primeira edição em 2019. "Para este ano, a realização de quaisquer eventos presenciais está pendente de definição, pois depende do Plano de São Paulo e também da evolução dos números da pandemia, que vem sendo monitorada diariamente", informou a administração municipal.
Para se ter ideia da importância dos eventos comemorativos do aniversário da cidade, os 160 mil visitantes que passaram pela Expo Mogi 2019 e pelo Desfile Cívico Militar injetaram, pelo menos, R$ 3,5 milhões na economia do município. O montante leva em consideração o que foi consumido por todo o público presente nas barracas beneficentes, na feira de artesanato, vendedores ambulantes instalados legalmente na Avenida Cívica, estabelecimentos comerciais da cidade, como bares, restaurantes, supermercados e postos de combustíveis, transporte, além de prestadores de serviços. Os recursos levantados com a feira de artesanato e a praça de alimentação do evento somaram cerca de
R$ 300 mil.
Segundo o próprio prefeito Marcus Melo (PSDB), o aniversário do ano passado foi, de fato, o maior que a cidade já teve, com artistas renomados que atraíram uma multidão de pessoas. (F.A.)
Compartilhe
Comentários
Comentar

Mais vistos