Cidades
Publicada em 31/07/2020 - 01h06min

Felipe Antonelli
Acidentes

Mortes no trânsito aumentam 100% entre abril em junho

No período analisado para este ano, pelo Infosiga, foram registradas 22 mortes; em 2019, foram 11 falecimentos

Durante o período da pandemia de coronavírus (Covid-19), Mogi das Cruzes viu a quantidade de mortes no trânsito disparar, dobrando o número de óbitos nas vias municipais e rodovias que cortam a cidade na comparação com o ano passado.
De abril a junho, os três meses diretamente impactados com o fechamento de comércios e a paralisação quase que total da economia, 22 mortes foram registradas, o dobro do ano passado, quando 11 pessoas perderam a vida após acidentes nas vias dentro dos limites mogianos. Os dados são do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes (Infosiga) do governo do Estado.
Na comparação com os últimos quatro anos, os dados de falecimentos no trânsito em Mogi se mostraram não muito distante, visto quem em 2018 ocorreram 18 mortes e em 2017, 12.
Mesmo com os índices aumentando durante a pandemia, o acumulado do ano, até a última atualização, evidencia que Mogi tem em 2020 o melhor primeiro trimestre nos últimos anos no que diz respeito às mortes no trânsito. Com 31 óbitos de janeiro a junho deste ano, a quantidade de mortes é menor que em 2019 (34) e 2018 (38), apresentando o melhor primeiro semestre desde então. Maio foi o mês com mais mortes no trânsito, dez no total, dentro deste período que engloba os seis primeiros meses do ano.
As motocicletas continuam sendo os veículos de locomoção que mais provocaram mortes em Mogi. Foram 13 mortes com motos sendo o veículo da vítima fatal, nove com automóveis, quatro com bicicletas, quatro pedestres e um não identificado. Assim como nos anos anteriores, os homens são a maioria dos que morreram no período, com 83,8% das casos, enquanto as mulheres, 16,1%.
Alto Tietê
No G5 do Alto Tietê, grupo de cidades mais populosas da região, composta por Mogi, Suzano, Itaquaquecetuba, Ferraz de Vasconcelos e Poá, o aumento de mortes também ocorreu. De abril a junho 35 óbitos foram registrados, sete a mais que o mesmo período do ano passado, quando 28 pessoas perderam a vida após acidentes.
O Estado de São Paulo não apresentou aumento nos óbitos no trânsito durante o período de pandemia. Segundo os dados do Infosiga, 1.076 pessoas morreram no trânsito entre abril e junho, número 22,5% menor que no ano passado, quando 1.390 pessoas perderam a vida em decorrência de acidentes.
Compartilhe

Mais vistos