Cidades
Publicada em 15/09/2020 - 23h21min

Educação

Seis cidades superam a meta estipulada para o Ideb 2019

Avaliação que contribuição para a evolução do aprendizado na região tomou como base os anos iniciais na escola

Foto:

A maioria das dez cidades do Alto Tietê superou a meta 2019 do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), indicador calculado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para os anos iniciais, 1º ao 5º ano, que tem a demanda de alunos atendida principalmente pelas redes municipais, informou ontem o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat). Os resultados divulgados ontem pelo Ministério da Educação mostram, ainda, que a maior parte das cidades evoluiu ou manteve o mesmo patamar do Ideb 2017.
Arujá, Guararema, Mogi das Cruzes, Poá, Santa Isabel e Suzano são as cidades que superaram, na rede municipal, a meta do Ideb 2019 nos anos iniciais. Entre os quatro municípios que não atingiram a projeção, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos e Salesópolis ficaram um décimo abaixo da meta, enquanto Itaquaquecetuba ficou dois décimos.
As redes municipais que registram os melhores desempenhos no Ideb 2019 nos anos iniciais são Guararema (7,2), Arujá (7) e Mogi das Cruzes (6,9), enquanto Itaquá e Biritiba Mirim tiveram as notas mais baixas - 5,6 e 5,9 respectivamente.
Na região, algumas cidades compartilham a responsabilidade dos anos iniciais do Ensino Fundamental com a rede estadual e quando analisado o desempenho geral da rede pública (municipal estadual) nos anos iniciais, o resultado do Ideb 2019 apresenta diferenças.
Neste ranking, as cidades de Arujá, Guararema, Mogi das Cruzes, Poá e Santa Isabel superaram a meta, enquanto Ferraz de Vasconcelos atingiu exatamente a projeção. Já as cidades de Biritiba Mirim, Itaquaquecetuba, Salesópolis e Suzano ficaram abaixo do desempenho previsto.
"Os resultados do Ideb precisam ser analisados de forma criteriosa e, principalmente, priorizando os números da rede municipal, que estão sob a responsabilidade das prefeituras. Sob esse aspecto, a maioria das administrações tem cumprido o seu papel, com a superação das metas e evolução no desempenho, ao mesmo tempo em que cada vez mais assumem a responsabilidade pelos anos iniciais do Ensino Fundamental", avaliou o coordenador da Câmara Técnica de Educação do Condemat, Leandro Bassini. "Muitas prefeituras, inclusive, já atingiram a meta estipulada para 2021", acrescenta.
Na comparação com os resultados da rede municipal no Ideb 2017 dos anos iniciais, cinco cidades tiveram evolução no desempenho: Arujá (2,97%), Guararema (9,09%), Mogi (1,47%) e Santa Isabel (1,51%). Já Ferraz e Suzano mantiveram os resultados, enquanto Biritiba (-3,57%), Itaquá (-1,75%), Poá (-1,49%) e Salesópolis (1,53%) regrediram.
Apenas Ferraz, Mogi e Poá possuem rede municipal no Ensino Fundamental - anos finais (6º ao 9º ano). E nenhuma delas atingiu a meta do Ideb 2019.
Em Ferraz, a meta era 5 e o resultado final da rede municipal foi 4,9. Em Mogi, a nota obtida foi 6 para uma projeção de 6,4. Poá tinha 6,3 de meta, mas registrou 6.

'Resultado poderia ser melhor', aponta Mogi

A Secretaria Municipal da Educação avaliou que o desempenho de Mogi das Cruzes no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) poderia ter sido ainda melhor se não fosse por falhas na aplicação das provas por parte do governo federal

A Secretaria Municipal da Educação avaliou que o desempenho de Mogi das Cruzes no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) poderia ter sido ainda melhor se não fosse por falhas na aplicação das provas por parte do governo federal. Outro fator que influenciou no resultado foi a exclusão de 15 escolas consideradas de bom desempenho.
A secretária de Educação, Juliana Guedes, informou que a expectativa era por um resultado superior. "A prova veio com muitos erros e a aplicação do exame foi bastante conturbada", explicou.
Outro ponto destacado como fator que impediu um resultado melhor foi a exclusão de 15 escolas da avaliação. "Sabíamos que sem a participação dessas escolas o desempenho certamente seria menor do que o esperado", declarou.
A Secretaria da Educação entrou com um pedido de esclarecimento do motivo da não participação dessas 15 escolas, mas nenhuma justificativa foi encaminhada.
Segundo a Pasta, o desempenho dos alunos foi superior em Matemática e a progressão se deve as ações coordenadas junto as escolas no sentido de melhorar essa competência.
Para mostrar como o trabalho em cima desses diagnósticos podem ser proveitosos para direcionar os esforços em melhoria, a secretária citou a escola municipal Benedito Ferreira Lopes, onde o aumento foi na nota foi de 3 décimos, saindo de 5,7 em 2018 para 6.0 no ano passado.
*Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Mais vistos