Cidades
Publicada em 15/09/2020 - 21h32min

Felipe Antonelli
Operação Legis Easy

Advogados preparam defesa dos parlamentares presos

Justiça ainda não notificou os vereadores suspeitos de lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa

Dias após a conclusão do inquérito e a apresentação da denúncia à Justiça, as defesas dos vereadores presos, suspeitos de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, começam a formular suas teses, que serão apresentadas em breve.
Visando celeridade no processo para que vereadores, empresários e assessores tenham a prisão preventiva revogada o quanto antes, advogados responsáveis pela defesa dos investigados deram início ao trabalho de compilação de argumentos, antes mesmo de terem sido notificados oficialmente pela Justiça. Após a notificação, se inicia o prazo de 15 dias para que as defesas se manifestem antes do juiz acatar ou não a denúncia da Promotoria. 
Na última sexta-feira, a denúncia de corrupção contra seis vereadores, cinco empresários e um assessor da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes foi apresentada pelo Ministério Público (MP). Segundo a Promotoria, a organização criminosa integrada pelos 12 denunciados recebiam dinheiro indevido em razão da função pública que exerciam para favorecer interesses dos empresários.
O advogado Jonathas Palmeira, representante do vereador Mauro Araújo (MDB), apontado como articulador do esquema, disse que, tão logo formalmente for notificado, vai apresentar documentos que "desconstroem em absoluto" toda a narrativa apresentada pelo Ministério Público, já que "não existe o esquema de corrupção entre as empresas". "Se trata de empréstimos realizados entre eles, pautados em uma relação de confiança. Como empresário, Mauro também negociava imóveis e automóveis", afirmou Palmeira. "Assim como são empréstimos as transações feitas entre as empresas", completou. 
No mesmo sentido de dar celeridade ao processo, o advogado Carlos Kauffmann, representando o vereador investigado Francisco Bezerra (PSB) e o empresário Pablo Bezerra, filho do parlamentar, informou que é de interesse da defesa demonstrar a verdade dos fatos o quanto antes. Segundo ele, a denúncia "unilateral" não se sustenta. "Se alega que a empresa de Pablo ( São Francisco Serviços Médicos Ltda) foi contratada para prestar serviço a outra empresa (Fundação ABC), colocando como se fosse algo emergencial, mas na verdade, a São Francisco já prestava serviço para a ABC há um longo tempo, há mais de um ano", argumentou Kauffmann. "Além disso, todas as transações entre as partes são operações de empréstimos, devidamente contabilizadas", explicou o advogado.
O advogado do vereador foragido Antonio Lino da Silva (PSD) disse à reportagem que a resposta "ocorrerá em breve", já que a defesa "tem urgência em demonstrar a inocência" do parlamentar. A defesa do parlamentar Diego de Amorim Martins (MDB) também confirmou que trabalha na defesa do cliente.
A reportagem entrou em contato com a defesa do vereador Carlos Evaristo (PSB), que preferiu não se pronunciar sobre o caso. Não foram contatadas as defesas do vereador Jean Lopes (PL), dos empresários Joel Leonel Zeferino, Carlos César Claudino de Araújo -irmão de Mauro Araújo - e Willian Casanova, Carla Salvino Bento, e do ex-assessor da Câmara, André Alvim de Matos Silva.

Transferência para Tremembé completa uma semana

Hoje completa uma semana que os vereadores Mauro Araújo (MDB), Diego Martins (MDB), Carlos Evaristo (PSB) e Jean Lopes (PL) estão presos preventivamente na Penitenciária II de Tremembé "Dr

Hoje completa uma semana que os vereadores Mauro Araújo (MDB), Diego Martins (MDB), Carlos Evaristo (PSB) e Jean Lopes (PL) estão presos preventivamente na Penitenciária II de Tremembé "Dr. José Augusto César Salgado''.
Desde o último dia 9, os parlamentares denunciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa seguem em Regime de Observação (RO) e, neste momento de pandemia da Covid-19, estão em quarentena até serem colocados com os demais presos da unidade. As condições dos parlamentares foram confirmadas pela Secretaria de Administração Penitenciária (SAP).
As visitas presenciais de familiares aos presos estão suspensas desde de 20 de março, como parte das medidas restritivas de contato da população carcerária com o público externo, para evitar a propagação do contágio de Covid-19 no interior das unidades prisionais. Como alternativa, os presos podem receber cartas, sejam físicas ou via formulário na internet, ou participarem de visitas virtuais.
Segundo o advogado do vereador Mauro Araújo, o parlamentar "está bem, na medida do possível, e confiante que a Justiça será feita". O vereador Chico Bezerra (PSB), continua em prisão domiciliar devido a problemas de saúde. Com mandado de prisão preventiva expedido, o vereador Antonio Lino (PSD) continua foragido.
Os quatro empresários e assessores da Câmara de Mogi estão no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mogi das Cruzes, no distrito do Taboão. Lá estão Carlos César Claudino de Araújo (empresário e irmão do parlamentar Mauro Araújo); os empresários Joel Leonel Zeferino e Willian Casanova; além do assessor do vereador Diego de Amorim Martin, André Alvim de Matos - este último preso no último dia 5. (F.A.)
Compartilhe
Comentários
Comentar

Mais vistos