Opinião
Publicada em 16/11/2020 - 05h18min

CONTRACAPA

Sujeira eleitoral
As ruas de Mogi das Cruzes, Suzano e de outros municípios do Alto Tietê amanheceram ontem, dia das eleições municipais 2020, tomadas por santinhos. A cena, característica do dia de votação, foi registrada em ruas próximas a importantes colégios eleitorais de Mogi, como a Escola Estadual Pedro Malozze, onde o prefeito Marcus Melo (PSDB) votou. Em Suzano, o fato ocorreu nas escolas estaduais Batista Renzi e Raul Brasil.
Extinção de seções I
Com 79 seções a menos em Mogi das Cruzes, 117 em Suzano e 341 em todo o Alto Tietê, muitos eleitores tiveram dificuldades para encontrar o local onde iriam votar. Em Mogi das Cruzes, houve casos em que, sem comunicação prévia da Justiça Eleitoral, foi alterada a escola onde o eleitor deveria comparecer, o que causou mais transtornos.
Extinção de Seções II
O motivo foi a não utilização de mais de 30 mil equipamentos de votação em todo o Estado de São Paulo. Segundo a Justiça Eleitoral, para evitar transtornos na hora de votar, a recomendação era que o eleitor verificasse a zona e a seção eleitoral antes de sair de casa, entretanto, muitos não seguiram a orientação.
álcool em gel
Do ponto de vista sanitário, as escolas estavam preparadas para receber o público. Na entrada dos colégios eleitorais, o álcool em gel foi item indispensável. Nas filas, os secretários das sessões eleitorais distribuíam o produto, assim como dentro da sala, onde os mesários completavam a higienização das mãos dos eleitores.
E-título
Também foi registrado em Mogi das Cruzes o caso de eleitores que tentaram justificar ausência na eleição por meio do aplicativo e-Título e não obtiveram sucesso. Na tarde de ontem, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, informou que a retirada da rede, que provocou a inoperância do sistema, se deu em razão do ataque hacker no último dia 3 ao sistema do Superior Tribunal de Justiça (STJ).
Acessibilidade I
Nas escolas estaduais Pedro Maloze e Francisco Ferreira Lopes, eleitores idosos ou com deficiência tiveram problemas para chegar até as seções que ficavam em andares superiores. Contando apenas com escadas para que os eleitores chegassem em suas seções, foram registradas cenas em que eleitores com mobilidade reduzida tiveram de se apoiar em familiares para conseguir superar a escadaria.
Acessibilidade II
De acordo com o TRE, cabe aos juízes eleitorais responsáveis pelas zonas viabilizar o acesso a eleitores especiais sempre que solicitado. Eles também podem exigir acesso facilitado às seções eleitorais. Cenas como as registradas em Mogi não foram exclusividade do município. No Brasil, ocorreram diversas situações do tipo.
duas realidades
Em Guararema, a situação de colégios eleitorais foram bem distintas. Enquanto na Escola Municipal Eunice Leonor Lopes Prado eleitores ficaram até 45 minutos para votar, na Escola Estadual Dr. Roberto Feijó em algumas seções não havia fila e, quando foram registradas, levavam pouco tempo para serem superadas.
tranquilidade
Poucas situações de confusão por conta de desrespeito com as normas eleitorais foram registradas em Mogi das Cruzes durante a votação de ontem. Com as normas mais rígidas por parte da Justiça Eleitoral, apoiadores e candidatos se contiveram para seguir o determinado pelo TSE e o clima de tranquilidade reinou nos principais pontos de voto.
Boca de urna
A distribuição de material político de campanha ocorreu próximo à escolas do bairro Parque Residencial Marengo, em Itaquaquecetuba. Considerado como crime, a boca de urna foi vista em outras cidades da região, como Mogi das Cruzes.
Compartilhe

Mais vistos