Cidades

Instauração de CPI deverá ser votada no plenário em dez dias

A abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará denúncias de irregularidades no fornecimento de merenda escolar por meio de contratos firmados por cooperativas de agricultura familiar com o governo do Estado e municípios paulistas deve ser votada em dez dias na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp),Segundo o deputado Estevam Galvão (DEM), autor do requerimento que solicita a abertura da comissão, no total, o documento já apresenta mais de 80 assinaturas, sendo que são necessárias 32 para instauração do processo de investigação

Cibelli Marthos
11/05/2016 às 22:37
Atualizada em 11/05/2016 às 22:37.
Daniel Carvalho

Estevam: 'Investigação ampla e transparente' - FOTO: Daniel Carvalho

A abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará denúncias de irregularidades no fornecimento de merenda escolar por meio de contratos firmados por cooperativas de agricultura familiar com o governo do Estado e municípios paulistas deve ser votada em dez dias na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp),
Segundo o deputado Estevam Galvão (DEM), autor do requerimento que solicita a abertura da comissão, no total, o documento já apresenta mais de 80 assinaturas, sendo que são necessárias 32 para instauração do processo de investigação.
Estevam reforçou ainda que a Assembleia já contava com uma CPI aberta pelo PT, mas que não teve andamento por investigar apenas o governo do Estado. "O intuito era só esse, mas nós estamos propondo uma investigação mais ampla, honesta e transparente e que punirá qualquer pessoa, independentemente de quem seja, que estiver envolvida nesse processo".
O parlamentar destacou que o trabalho de apuração incluirá os municípios que também compram merenda para os seus alunos da rede municipal. "Temos que incluir todos os envolvidos. A ideia é ouvir aqueles que já foram citados e quem a comissão julgar necessário".
Ocupação
A pressão feita por alunos, que ocuparam o plenário da Alesp por dois dias colaborou com a decisão do deputado, ao lado de outros parlamentares, em apresentar a criação da CPI. "Já estávamos discutindo esse assunto antes da ocupação, mas o ato colaborou, sim, para que o processo fosse acelerado".
Apesar de defender manifestações democráticas, o parlamentar não concorda com as ocupações feitas na Alesp e no prédio administrativo do Centro Paula Souza. "Estamos vivendo um novo momento da democracia, com a participação efetiva da população, mas é importante que se tenha claro o que está sendo reivindicado. Hoje as ocupações são feitas de forma desmedida. Acredito que seja possível mostrar suas ideias e necessidades sem isso", concluiu.
Quem Somos

Fundado por Paschoal Thomeu – circulou em 22 de novembro de 1975. Em 1992, o administrador de empresas e publicitário Sidney Antonio de Moraes adquiriu a marca e relançou o jornal em 27 de outubro. O projeto foi ganhando força e, em 23 de abril de 1997, o jornal, até então preto-e-branco e veiculado apenas uma vez por semana, passou a circular colorido e bissemanalmente. Em 18 de maio do mesmo ano, a circulação foi ampliada para trissemanal e, finalmente, em 21 de junho de 1997 concretizou-se o lançamento do Mogi News diário. São inúmeras ações que, aliadas à qualidade editorial e gráfica, consagram o Mogi News como o jornal mais lido e respeitado do Alto Tietê

Entre em contato:

(11) 4735-8000
[email protected]
[email protected]
[email protected]

Av: Japão, 46 - sala 06 - Vila Ipiranga - Centro - Mogi das Cruzes

© 2022 Todos Os Direitos Reservados Ao Portal News