Formação com professores de Biritiba destaca a fotografia

Professores trabalharam ainda as inúmeras interpretações possíveis nas legendas
Professores trabalharam ainda as inúmeras interpretações possíveis nas legendas - FOTO: Suéller Costa
A arte do fotografar, o olhar fotográfico e a leitura de imagens conduziram a capacitação realizada em novembro com os professores da rede de ensino de Biritiba Mirim. Com base na discussão em que, atualmente, vive-se numa sociedade imagética, em que o registrar faz parte do cotidiano, os educadores foram orientados quanto à importância das imagens não só no dia a dia, como, em especial, às matérias jornalísticas, que, quando ilustradas, passam a ser complementadas e até mesmo mais lidas. Afinal, as fotos não só ilustram os textos como ampliam as informações e ajudam a despertar, ainda mais, o interesse dos leitores.

Primeiramente, os educadores foram apresentados a alguns conceitos da fotografia, como técnicas que ajudam na captura de uma boa imagem. Dicas com relação a composição, perspectiva, luz e cor, imaginação e criatividade, e, ainda, a essência dessa arte, que sempre traz uma história e aguça a imaginação daqueles a apreciam. Em seguida, quatro dinâmicas foram apresentadas como sugestões para serem colocadas em prática com os alunos em sala de aula. Dentre as atividades sugeridas, uma delas incentivou os educadores a produzir as suas imagens, utilizando as orientações recebidas, e, depois, os grupos escreveram uma matéria com base no objetivo do registro.

A interpretação de cada imagem produzida também foi um destaques das atividades. Isso porque mostrou que elas possuem inúmeras interpretações, e cabe a cada um formular a sua. Com este conceito em mente, todos puderam comparar os seus olhares com base em imagens divulgadas no jornal e nas produções realizadas ao longo do encontro.

Legendas

Outro ponto destacado foi a importância das legendas para as imagens divulgadas nos suportes midiáticos. Tendo em consideração as inúmeras interpretações que uma foto pode transmitir, um descritivo é uma forma de nortear o leitor quanto ao assunto real que está sendo abordado na matéria jornalística. Este recurso também foi colocado em prática com os professores ao longo das atividades.

EXERCíCIOS COM FOTOS CONQUISTAM ALUNOS

Atividades envolvendo a produção, leitura e interpretação de fotografias são bem-vindas aos professores, que adiantaram que já as aplicam em sua rotina pedagógica. A professora Denise Suzuki, que leciona para uma turma do 4º ano C da Emef João Cardoso de Siqueira Primo, comentou que as imagens despertam bastante a atenção das crianças, por isso não abre mão de criar exercícios com essa arte.

"Eu já apliquei várias atividades sobre fotografia. Gosto, por exemplo, de trabalhar com títulos das matérias, e, sem que eles vejam o assunto, peço para imaginarem uma fotografia que corresponda com a sua interpretação. Ou vice-versa, distribuo fotos e peço para eles acharem os textos correspondentes. As ilustrações chamam a atenção dos alunos, principalmente, das crianças, por isso gosto de explorá-las, criando exercícios que ampliem, cada vez mais, a interpretação da minha turma. Eu gostei das sugestões deste encontro, pois dinâmicas que envolvem a fotografia são bem-vindas", elogiou.

Quem também gostou das sugestões e da dinâmica do encontro foi a professora Vilma Costa Sogabe, que leciona para o 4º ano da Emef Helena Ricci Barbosa. Ela faz o uso cotidiano do jornal, em especial, do Diarinho, que, segundo ela, sempre traz um assunto interessante para complementar algum tema discutido em aula. A leitura de imagens também faz parte da sua prática, e, cada encontro, ela comenta que tem sido interessante conhecer novas formas de usufruir de um importante meio de comunicação.

"As atividades são diferentes, e é sempre bom conhecer algo novo para levarmos à sala de aula. Eu gosto de trabalhar com jornal, uso bastante as reportagens, exploro os títulos, as imagens, os assuntos. Os alunos gostam e, quando crio algo com fotos, eles apreciam os exercícios. Quando uso o Diarinho, é muito positivo, pois é um jornal direcionado à faixa etária dos estudantes, então, é bem-vindo. Recentemente, ao trabalhar com o Halloween, utilizei a matéria produzida por este jornalzinho para complementar o assunto. Uso, também, as datas comemorativas, as dicas e o conteúdo em geral. Acho tudo interessante", acrescenta. (S.C.)

Deixe uma resposta

Comentários