Bullying, perigo à vista!

Data é um alerta internacional para o problema, que afeta jovens do mundo todo
Data é um alerta internacional para o problema, que afeta jovens do mundo todo - FOTO: Divulgação

Escondido atrás de muito medo, o bullying escolar é uma forma de agressão que não pode ser encarado de forma natural como uma brincadeira ou provocação entre crianças e adolescentes. Para profissionais da área da educação, o ato merece atenção dos pais e deve ser combatido em qualquer ambiente e situação.

Uma brincadeira nada divertida

Compreende-se como bullying todas as formas agressivas, intencionais e muitas vezes repetitivas, que ocorrem sem motivo aparente e que são causadas por um ou mais estudantes contra outro. Este ato tem por conseqüência provocar agressões psicológicas e físicas por quem esta sofrendo esse tipo de ação.

De acordo com a psicopedagoga Elis Ângela Rossi, que atua na Secretaria de Educação de Arujá, o bullying não pode deixar passar abatido. “Não podemos tratar qualquer ação de humilhação e violência como normalidade e, para ser combatido, deve haver uma intervenção de imediato”, orientou a profissional.

É na escola que se registra grandes casos

Para Elis, o ambiente escolar é ainda o local onde são registrados os maior número de casos de bullying. “É um fato que sempre existiu na sociedade e agora percebemos que está bem mais acentuado, principalmente, no âmbito escolar”, revelou.

Neste caso, a psicopedagoga afirmou que deve haver a intervenção por parte da equipe escolar. “ Como forma de prevenção, há a preocupação das escolas em desenvolveram projetos para que o bullying seja evitado. Um deles, é promover o envolvimento entre instituição e comunidade agregando projetos que retomem os valores humanos dentro de uma sociedade, sempre buscando trabalhar a relação do respeito ao próximo”, explicou Elis.

Segundo ela, os pais também devem ficar atentos em casa, observando qualquer atitude diferente ou estranha do filho. “É recomendado que os familiares estejam envolvidos com esse tema e na participação do pequeno na escola. É importante ainda, que os pais conversem diariamente com os filhos sobre acontecimentos e reflexões do dia, promovendo assim, uma conexão maior entre eles”, finalizou.

Deixe uma resposta

Comentários