Outro tempo

Inspirada nos romances clássicos da escritora britânica Jane Austen, a novela das seis, da Globo, "Orgulho e Paixão", de Marcos Bernstein e direção artística de Fred Mayrink, é recheada de personagens femininas fortes, que sabem se impor em uma sociedade ainda predominantemente machista. Entre essas mulheres que vivem à frente de seu tempo, surge a dedicada médica Mariko, interpretada pela atriz Jacqueline Sato.
"Essa é uma novela de época, mas que traz um frescor e a minha personagem é precursora do feminismo na trama, pioneira na profissão", conta Jacqueline, que afirma ser importante mostrar como era essa fase e como se dava a batalha pela igualdade, "mostrando o quanto já se lutou e se avançou".
Jacqueline interpreta uma médica, de origem asiática, fato que, na época, só aumentava a desconfiança de todos. "Ela sofreu preconceito na faculdade e, depois, nos atendimentos que realizava, pois as pessoas achavam estranho uma mulher médica, algo que hoje em dia é um fato comum", diz.
Para incrementar ainda mais a trama e mostrar como a situação de Mariko era singular, afinal a novela se passa no início do século 20. "Ela é brasileira com ascendência oriental e une os dois mundos, pois se formou em medicina, mas herdou de família a medicina oriental", explica Jacqueline.
"A Mariko usa também a acupuntura, entre outras terapias orientais nos tratamentos, e claro que isso também sofre preconceito, as pessoas ficavam assustadas, com medo", conta a atriz, que aproveitou sua personagem na novela para pesquisar e conhecer um pouco mais sobre os seus ancestrais, sobre as suas origens. 
"Os primeiros japoneses que chegaram ao Brasil, diferentemente do que muita gente pensa, entraram no País por Florianópolis e por São Paulo", explica a atriz, que demonstra ter se preparado bem para o papel. "Além de ler e pesquisar sobre a situação da mulher nessa área médica, fiz estudo histórico e também procurei referências audiovisuais, assisti, por exemplo, ao filme 'Nise - O Coração da Loucura', com Gloria Pires, sobre a médica Nise da Silveira, e à série 'Call the Midwife', ambos retratam mulheres fortes e determinadas trabalhando na área médica", conclui.
Jacqueline revela ainda que, assim que viu como seria sua personagem, logo enxergou a irmã, que é médica e tem muito da Mariko. "Você vai ser minha fonte de inspiração e eu adorei. Ela está gostando de ver", disse a atriz para a irmã. 
Para Jacqueline Sato, "Orgulho e Paixão", de forma leve, consegue "colocar essas mulheres no meio dessa história, não fazendo altos discursos sobre o feminismo, pois tudo é visto nas atitudes, na prática, mostrando a importância dessa luta, mas de uma forma que o público receba bem".

Deixe uma resposta

Comentários