Artigos

EUA, Irã e o mundo

Afonso Pola
07/01/2020 às 06:10
Atualizada em 07/01/2020 às 06:10.
A ação realizada com drones no Iraque e que resultou na morte do comandante iraniano Quassim Suleimani elevou a temperatura nas relações entre o Ocidente e o Oriente Médio. Foi um ato de um estado contra o líder militar de outro estado realizado em um terceiro estado. De acordo com algumas análises, o presidente Trump pode provocar uma guerra para tentar salvar sua reeleição.
O ato gerou reações em diversas nações. Coréia do Norte, China e Rússia condenaram a ação de imediato. Principais lideranças da União Europeia pediram que as partes adotassem máxima contenção e responsabilidade na condução da crise instalada. Como consequência mais imediata com a tensão sobre uma possível escalada do conflito entre Estados Unidos e Irã, o preço do barril de petróleo chegou a
US$ 69,50, alta de quase 4%.
A intensificação do processo de globalização ocorrida nas últimas décadas criou uma relação de interdependência entre as economias nacionais e, mesmo quando um acontecimento está restrito a poucas nações, de uma forma ou de outra o conjunto das economias é afetado.
E esse é um tipo de ação que sempre provoca reações. O Irã anunciou "retaliação severa" ao que chamaram de "o maior erro de cálculo dos EUA desde a Segunda Guerra". O Iraque ameaça expulsar os soldados norte americanos instalados em uma base militar em Taji.
A alta no preço da gasolina e do diesel, em maior ou menor intensidade, deve afetar preços de diferentes produtos e serviços pelo mundo afora. Passagens aéreas, tarifas do transporte público e alimentos. Produtos de limpeza, óleos e lubrificantes, tecidos sintéticos, plásticos que usam derivados de petróleo também podem ter seus preços aumentados.
No caso do Brasil, outra preocupação nos rodeia. Qual será a movimentação do nosso governo em relação ao ocorrido. O governo Bolsonaro tem demonstrado um alinhamento subserviente aos EUA. E uma tomada de posição pró Tio Sam pode criar embaraços nas nossas relações comerciais com diversos países do Mundo Árabe. Bem vindo a 2020.
Quem Somos

Fundado por Paschoal Thomeu – circulou em 22 de novembro de 1975. Em 1992, o administrador de empresas e publicitário Sidney Antonio de Moraes adquiriu a marca e relançou o jornal em 27 de outubro. O projeto foi ganhando força e, em 23 de abril de 1997, o jornal, até então preto-e-branco e veiculado apenas uma vez por semana, passou a circular colorido e bissemanalmente. Em 18 de maio do mesmo ano, a circulação foi ampliada para trissemanal e, finalmente, em 21 de junho de 1997 concretizou-se o lançamento do Mogi News diário. São inúmeras ações que, aliadas à qualidade editorial e gráfica, consagram o Mogi News como o jornal mais lido e respeitado do Alto Tietê

Entre em contato:

(11) 4735-8000
[email protected]
[email protected]
[email protected]

Av: Japão, 46 - sala 06 - Vila Ipiranga - Centro - Mogi das Cruzes

© 2022 Todos Os Direitos Reservados Ao Portal News