Boigues lidera com folga a corrida eleitoral em Itaquá

Ambulatório de Saúde Mental e unidades de saúde dão respaldo à assistência
Ambulatório de Saúde Mental e unidades de saúde dão respaldo à assistência - FOTO: Erick Paiatto
O candidato à Prefeitura de Itaquaquecetuba, o delegado Eduardo Boigues (PP), está com 47% das intenções de votos nestas eleições municipais marcadas para ocorrer no domingo, segundo levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas. Com as margens de erro oscilando entre 3,5 pontos percentuais, tanto para cima como para baixo, o delegado pode vencer a corrida eleitoral ainda no primeiro turno, já que percentual ultrapassaria os 50% e seria maior do que a soma de todos os demais candidatos juntos.

A atual vereadora e também candidata Adriana Felix (PL), a Adriana do Hospital, surge em segundo lugar com 14,1% das intenções, enquanto Heroilma Tavares (Avante), ex-primeira dama de Itaquá, aparecem com 7,9%, ambas, segundo a pesquisa, estão tecnicamente empatadas, considerando a margem de erro. Ainda são citados na pesquisa o candidato Fabiano (PT), com 2,5%; Moacyr Fernandes (Patriota), com 2,4%. Nenhum candidato, brancos e nulos somam 14,4%, enquanto 11,8% não sabem ou não responderam ao questionário.

 

CAPA FALSA GERA CONFUSãO

Ainda na semana passada, a capa do Dat da edição de 31 de outubro, quando a manchete foi a duplicação da rodovia Alberto Hinoto (SP-56), a estrada de Santa Isabel, em Itaquaquecetuba, com a presença do vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia (DEM), foi alterada por propagadores de fake news chamando atenção para o suposto favorecimento ao delegado nesta campanha eleitoral. Sobre as falsificações em capas, textos e fotografias, o Diário do Alto Tietê repudia qualquer tentativa de terceiros em se fazer passar pelos jornais do Grupo Mogi News, e não compactua com a propagação de notícias falsas e trabalha sempre com dados e informações checadas e confirmadas. (L.K.)

TENTATIVA DE BARRAR PESQUISA

A pesquisa foi liberada na semana passada, no entanto, a coligação "A vez de Itaquá" formada pelo PL, PSC e PRTB, entrou com uma ação na Justiça Eleitoral para suspender o levantamento por meio de uma liminar uma vez que, segundo a denúncia, ela poderia favorecer Boigues. "O resultado divulgado que ultrapassa o percentual absoluto de 100% de votos válidos aparenta ser fruto de mero erro de cálculo, e também não há prova nos autos de quem elaborou o gráfico", sentenciou a juíza Erica Pereira de Sousa, da 377ª Zona Eleitoral de Itaquá.

No despacho, a magistrada ainda destacou que "após a apresentação das peças defensivas e aprofundamento cognitivo, constato que não há substrato probatório suficiente para qualificar as pesquisas como fraudulentas e condenar os representados. Ambas as pesquisas estão devidamente registradas, como determina o art. 33 da Lei n. 9.504/97 e art. 2º da Res. TSE 23.600/19, e o fato de trazerem resultados diversos não possibilita a conclusão de fraude ou manipulação de dados". (L.K.)

Deixe uma resposta

Comentários