Dada a largada

A primeira dose da vacina contra a Covid-19 no Brasil a gente nunca vai esquecer. No domingo, após a aprovação dos imunizantes em caráter emergencial da CoronaVac, em parceria com o Instituto Butantan, e da AstraZeneca, da Univeridade de Oxford, em parceria com a Fiocuz, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, que há oito meses trabalha na linha de frente do combate ao coronavírus no hospital Emílio Ribas, em São Paulo, tornou-se a primeira brasileria a tomar a vacina no país.
O episódio, muito representativo diante de uma crise sanitária que atingiu o mundo inteiro, lamentavelmente se transformou em mais um capítulo na disputa entre o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Ambos queriam, a todo custo, entrar para a história como o responsável pela primeira dose brasileira da vacina. Nos últimos meses, a concorrência ganhou contornos desagradáveis, com ações de boicote de Bolsonaro e provocações desnecessárias de Doria.
Vitorioso neste embate, o governador de São Paulo não perdeu a oportunidade de cutucar o presidente da República. "Hoje é o dia V, o dia da vacina, da vitória, da verdade, da vida", disse Doria. E completou ainda mais agressivo: "Hoje é um triunfo da ciência contra os negacionistas, que preferem o cheiro da morte à alegria da vida". Bolsonaro teve de se calar, mas o seu imediato, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, acusou o governador paulista de aproveitar o momento como uma jogada de marketing.
Ao cidadão, o que importa agora é quando as doses chegarão às pessoas nos quatro cantos do país. Como o volume disponível ainda é pequeno, cerca de 8 milhões para cobrir toda a população brasileira, haverá neste primeiro momento uma corrida pela vacina. Somente um planejamento detalhado e a logística correta para a distribuição das doses é capaz de acalmar a população. Na região, a expectativa das prefeituras é iniciar a vacinação o mais rápido possível. De acordo com as prefeituras, tudo está pronto, e basta que as unidades cheguem às cidades para a imunização começar.

Deixe uma resposta

Comentários