TRIBUNA

Chove chuva
Os prefeitos do Alto Tietê têm um dilema muito comum a lidar neste início de mandato: as fortes chuvas que castigam sobremaneira as cidades, causando estragos e demandando soluções rápidas e imediatas para amenizar o sofrimento de quem precisa circular pela cidade, além daqueles que moram em morros ou encostas.
Chove sem parar
E o pior é que todo ano é a mesma ladainha e a chuva vem cada vez mais com muita força e transformando ruas em rios por falta de escoamento, investimentos e manutenções.
Serviço rápido
A forte chuva que atingiu Ferraz de Vasconcelos na última quarta-feira causou danos pela cidade derrubando árvores, interditando vias e causando alagamentos no centro e na Vila São Paulo, mas a Secretaria de Serviços Urbanos agiu rápido e concluiu os serviços de limpeza no dia seguinte.
Agilidade na limpeza
A prefeita Priscila Gambale (PSD) e o secretário de Serviços Urbanos, Agílio Nicolas, estiveram nos locais e acompanharam os trabalhos de rescaldo. "Deslocamos um grande efetivo com funcionários, caminhões e tratores para solucionarmos o problema o quanto antes", comentou Nicolas.
O triplo da previsão
Em Guararema, as chuvas da última quarta-feira também ocasionaram estragos pela cidade e a Prefeitura intensificou as ações para minimizar os impactos. Segundo o Centro de Segurança Integrada (CSI), entre 17h20 e 20h40, choveu 135,6 milímetros na cidade. A previsão da Defesa Civil do Estado de 30 a 40 milímetros.
Bairros afetados
A chuva provocou diversos transtornos em diferentes regiões da cidade. Ainda de acordo com o CSI, foram registrados pontos de alagamento nos bairros D'ajuda, Vale dos Eucaliptos, Itapema, Itapeti, Sítio dos Quinze e na região central. Também houve alagamento nas estradas Hércules Campagnoli e Jorge Miski. Nesta última, a força da água causou uma erosão na pista.

Deixe uma resposta

Comentários